Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Trigésimo aniversário do INPS: Olavo Correia fala em três décadas de ganhos para os trabalhadores

Cidade da Praia, 28 Out (Inforpress) – O vice-primeiro-ministro destacou hoje o papel do Instituto Nacional de Providência Social (INPS), por ocasião do aniversário da instituição, afirmando que são 30 anos de ganhos para os trabalhadores cabo-verdianos, para a população e economia cabo-verdiana.  

Olavo Correia, que tutela também as Finanças e o Fomento Empresarial e é e ministro da Economia Digital, fez estas declarações na abertura da conferência “Que protecção social no pós-covid-19”, hoje, na Cidade da Praia, no âmbito das celebrações do 30º aniversário do INPS.

“É marcante comemorar 30 anos do percurso da protecção social em Cabo Verde. É função do Estado proteger as pessoas em situações de vulnerabilidade, desemprego, doença, invalidez, deficiência, velhice, maternidade, sobrevivência e outras eventualidades de ausência de meios de subsistência”, disse.

Uma função que Olavo Correia classificou de “deveras importante” em qualquer Estado que se preze e que queira cuidar de todos.

“São 30 anos de ganhos para os trabalhadores cabo-verdianos, para a população e economia cabo-verdiana.   Por isso, em nome do Governo de Cabo Verde, saudamos o INPS, os seus colaboradores, o seu parceiro, todos os seus contribuintes pelos 30 anos que hoje celebram, em prol da protecção social e do regime contributivo”, continuou.

Olavo Correia frisou ainda que são cerca de três décadas de ganhos para os trabalhadores, para a população e para a economia de Cabo Verde.

“Ganhos para os trabalhadores, pois se cerca de 18 mil trabalhadores estavam abrangidos em 1991, em final de 2020 eram cerca de 133 mil trabalhadores. Isto após uma queda de cerca de 2 mil trabalhadores segurados, devido à pandemia”, explicou.

Olavo Correia ressaltou que se em 1991 cerca de 101 mil cabo-verdianos beneficiam de segurança social contributiva, passaram a ser cerca de 250 mil, em 2020, um “percurso deveras marcante”, que se traduz em “dez vezes mais trabalhadores e nove vezes mais pessoas” a beneficiar do que a trinta anos quando se iniciou com o instituto de seguros e providência social (hoje INPS).

“O INPS não apenas garante a cobertura de parte expressiva da população cabo-verdiana, com uma densa sexta de prestações imediatas de deferidas quando aplica as suas disponibilidades financeiras, o INPS é seguramente o maior investidor público e a sua participação cresceu de forma considerável nos últimos anos. São cerca de 5 milhões de contos em 2001 e hoje são cerca de 83 milhões de contos”, acrescentou.

Olavo Correia disse tratar-se de investimentos com retorno, passando de 418 mil contos em 2001 para cerca de 2.2 milhões de contos em 2020.

“Da imobiliária habitacional às telecomunicações, à banca e seguros, aos transportes marítimos, mas também em títulos do tesouro, em todas essas áreas o INPS tem sido presente e tem dado um contributo muito importante para a diversificação da nossa economia”, completou.

GSF/AA

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos