Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Trabalhadores do MAA em Santa Catarina exigem criação de portaria que beneficie a carreira profissional dos mesmos

Assomada, 06 Abr (Inforpress)- Os trabalhadores afectos à Delegação do Ministério da Agricultura e Ambiente nos concelhos de Santa Catarina e São Salvador do Mundo manifestaram-se hoje em Assomada, exigindo a criação de uma portaria que beneficie a carreira profissional dos mesmos.

De cartazes em punho, funcionários do Ministério da Agricultura e Ambiente da delegação de Santa Catarina e São Salvador do Mundo saíram hoje às ruas, demonstrando descontentamento ao que consideram ser “maldade” por parte do Governo e do Ministério a eles afecto.

À Inforpress, a vice-presidente do Sindicato da Indústria, Serviços, Comércio, Agricultura e Pesca (SISCAP), Francisco Cardoso, considerou “injusta” a não reclassificação dos funcionários que há mais de 30 anos trabalharam “arduamente” e não progrediram na carreira.

“Consideramos uma injustiça do Ministério e do Governo… A precariedade do contrato é a má atitude do Governo que não trabalhou para que estes trabalhadores mudassem de categorias, quando a lei diz que todos os trabalhadores, que têm cinco anos a trabalhar, devem ser considerados como de quadro definitivo”, sublinhou.

O técnico de Agricultura na delegação de Santa Catarina José Cabral acusou o Ministério de Agricultura de agir de forma “maldosa” e vai mais longe dizendo que caso as revindicações não forem acudidas, os trabalhadores vão partir para outras formas de luta, inclusive a apresentação formal de uma queixa em Tribunal.

“A reclassificação não foi feita, por pura maldade, não há outra justificação, há dinheiro disponível no orçamento há mais de um ano”, lamentou o técnico.

Os manifestantes exigiram mais “respeito, cumprimentos dos direitos laborais, crescimento económico” para todos e a criação da portaria que beneficie carreiras dos trabalhadores.

A adesão dos trabalhadores à manifestação, segundo o sindicalista, foi de 52 por cento (%).

CS/JMV
Inforpress/fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos