Trabalhadores do LEC agendam greve para 22 de Fevereiro para exigir implementação do PCCS aprovado há cinco anos

Cidade da Praia, 15 Fev (Inforpress) – Os trabalhadores do Laboratório de Engenharia Civil (LEC) agendaram uma greve de 24 horas, para o dia 22 de Fevereiro, para exigir a implementação do Plano de Cargos Carreira e Salários (PCCS), aprovado há cinco anos.

O anúncio do pré-aviso de greve, já entregue à Direcção-geral do Trabalho (DGT), foi feito hoje, em conferência de imprensa, pelo presidente do SIACSA, Gilberto Lima, que classificou de “triste” a situação porque passam os trabalhadores do LEC, neste momento.

O sindicalista, que apoia os trabalhadores nessa luta, indicou que juntamente com a implementação do PCCS os trabalhadores estão a exigir o pagamento dos retroactivos das progressões e das promoções atrasadas aprovadas pelo tribunal na sequência de um processo intentado pelo sindicato.

“O Tribunal deu-nos razão e essa situação perdura até hoje”, disse frisando que a ministra das Infra-estruturas e Ordenamento do Território tinha dado indicações ao Conselho de Administração do LEC para acelerar este processo.

Na sequência, informou que foi assinado um memorando de entendimento entre o sindicato representativo dos trabalhadores e o Conselho de Administração, em Dezembro, em que este assumia o compromisso de resolver a situação, mas adiantou que passados alguns meses não houve qualquer feedback.

“Estamos a reivindicar o cumprimento do memorando assinado pela presidente do Conselho de Administração com os valores que o Tribunal de Relação enquadrou com um processo a favor dos trabalhadores do LEC e que propunha as progressões e as promoções que falavam no acórdão”, disse exibindo o quadro com a lista de transição e os valores que cada trabalhador vai passar a auferir.

Quadro esse que, segundo informações avançadas pelo próprio sindicalista, citando terceiros, já se encontra depositado no ministério de tutela do LEC.

“Agora eu pergunto se não há valores para pagar esse pessoal? Temos de recorrer à greve para resolver um problema ou temos de recorrer ao Tribunal de Relação de novo para resolver essa situação”, questionou.  

Os trabalhadores do LEC já realizaram outras duas greves e duas manifestações tendo pelas mesmas reivindicações.

Gilberto Lima adianta que os trabalhadores estão mobilizados e que só a actualização salarial e o pagamento do montante em dívida poderão impedir mais esta greve com início previsto para às 7:00 do dia 22 e término às 7:00 do dia 23 de Fevereiro.

MJB/HF
Inforpress/fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos