Tikai estreia novo filme “Boita e Raboita des Mundo” dia 17 de Dezembro

Cidade da Praia, 17 Nov (Inforpress) – O grupo teatral Tikai prevê para o próximo dia 17 de Dezembro a estreia do seu filme intitulado “Boita e Raboita des Mundo”, cujas gravações têm início marcado para o próximo dia 19 de Novembro.

Durante cinco dias “Boita e Raboita des Mundo, que terá cerca de 1:45 de duração, será gravada no concelho de São Salvador do Mundo, na localidade de Picos, e contará com a participação de aproximadamente 20 actores, 50 figurantes, vários grupos musicais locais, com destaque para o grupo de batuque “Renascer” e Belo Freire.

O lançamento da película está previsto para o dia 17 de Dezembro, nos Picos, por ser a região onde será gravada, e vai percorrer todos os conselhos de santiago e de Cabo Verde, prevendo-se, para os meses de Fevereiro e Março, a sua apresentação na Europa e, posteriormente, nos Estados Unidos da América.

Estas informações foram avançadas à Inforpress pelo actor João Pereira, mais conhecido por Tikai, que já tinha decidido não produzir trabalhos cinematográficos, mas regressa agora com seu grupo, graças aos milhares de pedidos dos muitos fãs e seguidores.

“Um dos motivos da minha volta deve-se à solicitação de muitas pessoas de todas as faixas etárias e classes sociais por um novo trabalho de Tikai, por isso decidi voltar atrás”, disse João Pereira.

Outro intuito da produção do filme, segundo o actor, é homenagear o actor Gustavo da Moura, mais conhecido por Toty, membro do grupo de teatro Tikai, falecido em 2022, e que participou na peça original, apresentada em 2001, no Festival Mindelact.

“Esta peça foi apresentada no Festival Mindelact e tinha em torno de 15 minutos e Toty apoiou na escrita”, por isso a vontade de fazer uma homenagem ao “amigo” pesou também na sua decisão.

Segundo João Pereira, “Boita e Raboita des Mundo” vai abordar, de forma cómica, as questões da actual sociedade cabo-verdiana, que vem enfrentando “muitos conflitos” e na peça serão exemplificadas diferentes formas de ser e de estar na sociedade.

“Porque há essa necessidade de todos os actores da sociedade civil, nomeadamente, igreja, famílias, escolas, órgãos de poder, unirem-se para uma sociedade melhor”, defendeu o actor.

Este novo filme, enfatizou, irá comparar, de forma simples e cómica, a antiga sociedade cabo-verdiana e a actual, fazendo uma avaliação do “antes” e do “depois”, pondo na balança as dificuldades, os desafios existentes em cada época, mas também os valores, os exemplos, as conquistas e as mudanças que ocorreram, umas boas, outras nem tanto.

João Pereira explicou, por outro lado, que um dos motivos da sua desistência em desenvolver trabalhos cinematográficos, passara, sobretudo, pela falta de apoios, tendo afirmado que os filmes gravados foram-no com base, principalmente, nos investimentos da sua família.

O mesmo vincou ainda que muitas empresas e instituições cabo-verdianas não têm a cultura de acreditar e valorizar o sector e, por isso, negam apoios, mas manifestou o seu desejo em continuar a investir e a procurar meios para o desenvolvimento do sector no País.

Nesta senda, fez saber ainda que para realização deste novo projecto, enviou 70 cartas a empresas e entidades publicas e até esta data uma única empresa respondeu positivamente.

Desta feita, o actor espera que o público venha a gostar da “Boita e Raboita des Mundo” à semelhança dos outros oito trabalhos já produzidos, tendo mencionado que o seu último trabalho intitulado “Filho Pródigo” teve um “grande sucesso” a nível nacional e internacional, e actualmente conta com mais de 600 mil visualizações no “youtube”.

TC/HF

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos