Tiger Foot espreita oportunidade em Cabo Verde para transformar potenciais atletas em talento

Cidade da Praia, 24 Jan. (Inforpress) – A Tiger Foot, agência portuguesa de intermediação e representação de jogadores de futebol, encontra-se em Cabo Verde no âmbito de um projecto com a Escola Atletas de Cristo, com o propósito de fazer dos potenciais atletas um talento.

A agência está representada ao mais alto nível pelo responsável do projecto, Filipe Magalhães e pelo professor e mentor do desporto, João Pedro Barros, que é também responsável pelo acompanhamento desportivo na área do desporto com apoio nos potenciais negócios futuros da marca ‘Under Blue”, na visão comercial.

Os dois responsáveis estiveram domingo no estádio municipal Achada de Santo António “Sucupira”, onde presenciaram uma partida de futebol feminino entre as campeãs de Cabo Verde do Seven Stars e dos Jovens Unidos, da Calabaceira, tendo manifestado a importância de uma definição de critérios de avaliação, por forma a poder ajudar os potenciais atletas na concretização dos seus sonhos.

Em exclusivo à Inforpress, João Pedro Barros, português de origem cabo-verdiana e que assume com “muito orgulho” o facto de ser filho de pai cabo-verdiano da ilha do Fogo, revelou que a empresa tem uma missão de visionar os atletas como pessoas, independentemente do género, masculino ou feminino, pelo que, defendeu, nunca devem ser tratados como mercadorias.

“Como disse o nosso responsável, Daniel Magalhães, é um princípio que nós iremos tomar sempre, não procurando o atleta como uma fonte de rendimento, mas como uma oportunidade de crescimento que passa por vários níveis. A nossa filosofia é a de Tiger Foot desde 2020 que se posiciona no mercado,” explicou Barros.

A este propósito disse que esta estratégia passa, sobretudo pelo acompanhamento e evolução dos atletas com avaliações prévias ao nível da sua performance, com avaliação no contexto treino técnico-táctico, no acompanhamento psicológico, factor para o qual este especialista clama o seu aprimoramento em Cabo Verde, face à oscilação de ofertas.

Desta passagem por Cabo Verde, manifestou, igualmente, o orgulho da Tiger Foot em vestir a selecção de Cabo Verde com todo o fardamento, incluindo indumentária (incluindo fato de gala) pela marca ‘Under Blue.

A ‘Under Blue’ coloca à disposição da FCF anualmente, 60 fatos para as equipas de futebol, dirigentes, árbitros e ‘staff’ de comissários, igual número de camisas, gravatas, cintos, sapatos e meias, que são produzidos à medida.

Realçou que “vestir uma nação, mais que a dimensão do país é a dimensão daquilo que é entregue”, quanto mais se sabe que a selecção de Cabo Verde está a disputar acesso às quartas de final do CAN’2021 nos Camarões.

João Barros disse ser um orgulho para a marca saber que a selecção de Cabo Verde está a ser considerada “a mais bem vestida” na 33ª edição do campeonato Africano das Nações pela indumentária, tendo afirmado que a presença da marca “está bem vincada” na equipa nacional.

É que a Tiger Foot e a ‘Under Blue, acrescentou Daniel Magalhães, têm uma máxima em como se não for possível agradar a todos, trabalha para conseguir ajudar alguns, realçando que a empresa não veio a Cabo Verde para fazer promessas a ninguém, mas sim deixar bem vincada a ideia de trabalhar com as pessoas.

Relativamente à Escola Atletas de Cristo Tiger Foot, que passa a estar devidamente equipada, em termos desportivos, t-shirt, calções, botas, caneleiras, bolas de entre outras a tal ponto da escola, dirigida pelo professor Juca, conta actualmente com uma sede à altura das suas ambições em Achada de Santo António.

SR/ZS

Inforpress/Fim   

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos