Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Técnicos parlamentares cabo-verdianos participam na preparação do 25 de Abril na Assembleia da República de Portugal

Cidade da Praia, 19 Mar (Inforpress) – Um grupo de técnicos da Assembleia Nacional de Cabo Verde vai participas na preparação das cerimónias alusivas ao 25 de Abril na Assembleia da República, em Portugal, informou hoje o secretário-geral daquela casa parlamentar, Albino Azevedo Soares.

Albino Azevedo Soares falava à imprensa após a assinatura de um programa de cooperação entre a Assembleia Nacional de Cabo Verde (ANCV) e a Assembleia da República de Portugal (AR), que aconteceu hoje na Cidade da Praia.

Conforme explicou aquele responsável, as cerimónias do 25 de Abril são “muito grandes e volumosas” e envolvem convites a muitas entidades, tais como o Presidentes de República, presidentes de assembleias, antigos primeiros-ministros, primeiros-ministros, deputados e embaixadores, dentre outras.

“É muitas gentes importantes que tem que ser convidada, o encaminhamento delas, como é que elas vão ser colocadas nos respectivos locais, como é que são conduzidos à entrada e à saída”, acrescentou.

“No meio de centenas e centenas de pessoas ou de milhares de pessoas que participam nessas cerimónias”, disse Albino Azevedo Soares, quem for lá participar nesta preparação, “difícil, árdua e muito demorada”, vai ter conhecimentos que lhe permitam saber fazer a recepção em qualquer cerimónia que seja feita na Assembleia Nacional de Cabo Verde.

Quanto ao programa de cooperação assinado entre a ANCV e AR, Albino Azevedo Soares avançou que se tentou valorizar os conhecimentos, quer dos cabo-verdianos, quer dos portugueses e saber em que medida um parlamento pode ser útil ao outro.

“Nós não queremos ensinar nada, nós queremos ser úteis”, disse a mesa fonte, completando que, no âmbito da Web TV, Cabo Verde está mais desenvolvido. “Fazemos o registo das emissões de forma menos evoluída, portanto vamos também seguir as práticas de Cabo Verde”, frisou.

Continuando, aquele responsável manifestou o desejo de que essa troca de informações seja útil para ambas as partes.

“Há muito campo para descobrir e há também muitas áreas em que nós podemos ser úteis um ao outro”, disse.

Este programa, referiu a mesma fonte, tem “várias acções”, dividas por três anos, um em que Cabo Verde tem mais interesse e outras em que Portugal se interessa mais.

“Se nós tivermos que trocar a ordem ou incluir aqui acções que nos interessem a nós ou a parte cabo-verdiana, nós estamos disponíveis para isso”, finalizou.

O programa assinado hoje entre a secretária-geral da Assembleia Nacional de Cabo Verde o seu homólogo da Assembleia da República de Portugal visa atingir resultados como o aumento da capacidade de resposta dos serviços nos instrumentos a disponibilizar aos deputados da ANCV, aumento da capacidade profissional dos funcionários da casa parlamentar cabo-verdiana no desempenho das suas funções e aprofundamento do relacionamento institucional com outros órgãos da soberania e o público em geral.

GSF/AA/FP

Inforpress/Fim

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos