Teatro: Peça que retrata amizade dos escritores Sophia de Mello Breyner e Jorge de Sena apresentada no Mindelo

Cidade da Praia, 06 Mai (Inforpress) – A peça “Para Atravessar Contigo o Deserto do Mundo” que retrata a amizade dos escritores Sophia de Mello Breyner e Jorge de Sena, será apresentada este sábado no Mindelo.

A mesma peça, que conta com a participação da dupla portuguesa Pedro Lamares e Lúcia Moniz, foi na quinta-feira apresentada no Centro Cultural Português da Praia, enquadrada nas comemorações do Dia Internacional da Língua Portuguesa, assinalado a 05 de Maio.

“O espectáculo nasceu como uma ideia em 2018, porque se ia celebrar o centenário, tanto da Sofia como do Sena em 2019 e eu tive a ideia de fazer a construção de um espectáculo de intertextos”, explicou Pedro Lamares, actor, co-criador da peça.

Segundo disse, a peça é inspirada na amizade, retratada nas cartas trocadas entre os “enormes poetas da língua portuguesa” Sophia de Mello Breyner Andresen e Jorge de Sena.

“Havia muitas afinidades que os ligavam, para além da amizade e de serem os dois enormes poetas da língua portuguesa, havia uma grande afinidade política em termos ideológicos e em termo de compromisso social”, considerou

Lamares caracterizou o espectáculo realizado na Cidade da Praia como sendo “extraordinário”, com o levantamento da obrigatoriedade do uso de máscaras, visto que que dantes “não conseguiam perceber pequenos sorrisos” e nem “a reacção e o entendimento por inteiro”.

“É extraordinário voltar a ter expressão facial no público, porque é uma coisa que nos faz uma falta inimaginável que vocês não imaginam, (…) nesses espectáculos nós vemos (expressão do público) e nós estamos a comunicar com o público, as pessoas deixarem de ter expressão e passarem a ser só olhos”, explicou.

O mesmo autor referiu que o espectáculo como tem uma “actualidade totalmente lamentável”, fazendo menção à guerra na Ucrânia, ao passado colonial de Cabo Verde, ao racismo e à xenofobia, que vão ao encontro com os textos do Jorge de Sena e da Sophia de Mello Breyner, afirmando que “adorava que espectáculo não estivesse tão certo”.

“Nos últimos três anos, não há vez nenhuma que nós apresentamos isto e que não olhamos para o texto e digamos: oh não, temos aqui quatro poemas que estão a fazer tanto sentido e que nós queríamos tanto que não tivessem”, frisou.

Este artista disse ainda desejar que fosse apenas um “espectáculo histórico” e que a guerra, o racismo e a opressão retratada nos poemas não retratasse o actual cenário mundial, defendendo que deveríamos ter um “mundo mais justo e equilibrado”.

“O que nós queremos é mexer, trazer pensamento crítico, trazer reflexão e talvez a palavra mais dita neste espectáculo, a busca pela justiça, (…) o tipo de valores que nos parece que são defendidos pela Sophia e pelo Jorge de Sena e que nós trazemos e escolhemos dizer neste espectáculo, não nos parecem impossíveis de alcançar”, finalizou.

A exibição da peça consta da programação do mês de Maio do Centro Cultural Português do Mindelo e terá lugar na Academia Livre das Artes Integradas do Mindelo (ALAIM), enquadrada nas comemorações do Dia Internacional da Língua Portuguesa, assinalado a 05 de Maio.

CC/GSF/JMV
Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos