Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Tarrafal: “Governo quer uma “educação para todos” e tem-na como preocupação” – ministro Paulo Rocha

 

Assomada, 18 Set (Inforpress) – O Governo quer uma “educação para todos”, e tem-na como preocupação, e um “sistema eficaz” sobretudo na questão do insucesso escolar e do abandono escolar.

“Temos dito que o programa do Governo para esta Legislatura, visa de facto uma reforma no sistema educativo. Começamos este ano com a isenção de propina a partir do 7º ano e do Ensino Básico, isso é importante, porque tem haver também com questões ligadas ao insucesso escolar”, afirmou o ministro da Administração Interna, Paulo Rocha.

O governante que falava à imprensa em representação do Executivo, após presidir o acto da abertura oficial do ano lectivo no concelho de Tarrafal, interior de Santiago, indicou que quando se fala desta nova reforma do sistema educativo, fala-se da introdução das línguas estrangeiras, do ensino da Língua Portuguesa como segunda língua a partir do 5º ano e de um novo modelo atento também as novas tecnologias.

Questionado sobre a questão da “escola segura”, uma preocupação dos pais e encarregados de educação, diz que o mesmo é do Governo, que quer uma escola que sirva para a realidade cabo-verdiana, para a perspectiva macro económica, para a inserção do cabo-verdiano no mundo, e que sirva para estimular o crescimento do arquipélago.

Paulo Rocha que falava de segurança, lembrou que o desafio da segurança é “um desafio permanente”, que existe um plano todos os dias e estão empenhados nesta matéria, referindo ao policiamento de proximidade nas escolas.

A questão da segurança, vai muito mais além, a advogando que a “educação anda de braços dados com a segurança”, por isso apostam na prevenção que começa na educação, almejando o envolvimento dos pais e encarregados de educação.

“Educação formal, sim, mas a educação na família e na comunidade também é importante”, rematou.

Tarrafal conta com três agrupamentos, sendo que no básico estão esperados 2500 alunos e 169 professores e secundário 1950 alunos e 140 professores.

FM

Inforpress/Fim

 

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos