Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Tarrafal é o ex-libris da ilha Santiago e cartão postal de Cabo Verde – ministro Fernando Elísio (c/áudio)

Cidade da Praia, 04 Jan (Inforpress) – O Governo está empenhado em desenvolver acções concretas para a condução do Campo de Concentração do Tarrafal a Património da Humanidade e já identificou um conjunto de investimentos públicos, fundamentais a serem executados para elevar o nível do concelho.

O ministro do Estado reiterou estas preocupações esta noite na abertura do fórum “Tarrafal no contexto da ilha & do País”, no quadro do “Encontro Fidjus di Sto Amaro e na Praia, realizado no Palácio da Cultura, no Platô, numa iniciativa de Fidjus de Santo Amaro, tendo enaltecido a resistência e a perseverança dos agricultores tarrafalenses do Colonato a Mato Brasil e de Achada Meio a Bilimboa.

Fernando Elísio Freire considera que dotar o Campo de Concentração do estatuto do Património Mundial simboliza um acto de justiça e reconhecimento pelo sofrimento das gentes das ex-colónias portugueses e de Portugal que verteram seu sangue em nome da liberdade e da dignidade da pessoa humana.

Considera, por outro lado, que com este reconhecimento que se pretende, o Campo de Concentração será, efectivamente, “um verdadeiro espaço de atracção turística e de afirmação da ilha de Santiago, de Cabo Verde e do Tarrafal no contexto dos patrimónios mundiais.

Revelou que o executivo está a criar as condições para mais investimento no concelho e que, em articulação com o sector privado e autarquia, “irá melhorar e muito o acesso à baía do Tarrafal e requalificar a orla marítima”, com a criação de todas as condições que facilitem o acesso através da construção de uma nova estrada.

O governante recordou que o município foi no passado símbolo de repressão, marcado pela história da resistência, da luta anticolonial e antifascista e, posteriormente, de luta pela democracia, com o seu palco no Campo de Concentração do Tarrafal, alegando que todos os que lutavam contra a opressão uniram-se neste município.

Para o ministro, também filho do Tarrafal de Santiago, “agora é o momento de todos que lutam pelo desenvolvimento unirem-se por Tarrafal”, tendo admitido que não obstante “sobejamente reconhecidas” as potencialidades turísticas, o seu aproveitamento tem sido incipiente.

Nesta óptica, alerta para a necessidade de potenciar os recursos naturais do concelho, propício para a prática do turismo, “num cruzamento entre a modernidade e a tradição como mais-valia e o valor efectivo do desenvolvimento”, de modo a criar mercado para a viabilização da agricultura, pecuária, indústria, hotelaria, restauração e comércio.

Este colóquio enquadra-se nas actividades comemorativas do Dia do Município do Tarrafal de Santiago e de Santo Amaro, em Cabo Verde, que se comemora a 15 de Janeiro neste concelho do norte da ilha de Santiago e foi realizado na capital face ao “número considerável de tarrafalenses e Amigos do Tarrafal na Praia (Quadros e Sociedade Civil).

SR/JMV

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos