Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Tarrafal de Santiago: Maioria das embarcações já está registada e licenciada – presidente da câmara

Tarrafal, 18 Mai (Inforpress) – A maioria das embarcações de pescas semi-industriais e locais das várias zonas piscatórias do município do Tarrafal, no interior de Santiago, já está registada e licenciada e em condições de exercer a sua actividade com toda a tranquilidade.

A garantia foi dada hoje à Inforpress pelo presidente da Câmara Municipal do Tarrafal, José Nunes Soares, informando que durante este fim-de-semana a autarquia, em parceria com a Capitania dos Portos de Sotavento, procedeu ao registo e licenciamento das embarcações, nas suas vertentes renovação e emissão.

“Com a evolução da pandemia provocada pelo novo coronavírus (covid-19) houve controlo rigoroso nas nossas águas, e agora que a Guarda Costeira tem feito e bem o patrulhamento e fiscalização, lançou-se o alerta para que os pescadores estejam devidamente legalizados”, lembrou o autarca.

Daí que, segundo ele, a câmara municipal, a partir do momento que soube da situação, accionou o ministro da Economia Marítima, Paulo Veiga, a Capitania dos Portos de Sotavento, que conforme lembrou, prontamente manifestaram as suas colaborações para juntos procederem ao registo e licenciamento das embarcações semi-industriais e locais.

É nesse sentido, que segundo a mesma fonte, dezenas de pescadores dirigiram-se ao Salão Nobre dos Paços do Concelho do Tarrafal durante fim-de-semana para fazerem o registo e o licenciamento das suas respectivas embarcações.

José Nunes Soares assegurou que os pescadores das comunidades piscatórias do Tarrafal, mormente de Achada Tenda, Bimbirim, Trás-os-Montes, Ponta Furna, Baía do Tarrafal, Chão Bom e Ribeira das Pratas, já estão com as documentações que lhes garantem dar continuidade à faina pesqueira com “toda segurança e tranquilidade” e dentro da normalidade.

Conforme informações avançadas pelo executivo camarário, as licenças concedidas são válidas até 31 de Dezembro, sendo que a partir daí os pescadores terão que voltar a normalizar a sua situação.

FM/CP

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos