Tanzânia quer repatriar refugiados do Burundi a partir de Outubro

Nairobi, 27 Ago 2019 (Inforpress) – A Tanzânia indicou hoje que quer proceder a partir de 01 de Outubro ao repatriamento de todos os refugiados do Burundi presentes no seu território, considerando que a situação neste país permite o regresso.

“Concertados com o Governo do Burundi e em colaboração com o Alto Comissariado para os Refugiados, vamos iniciar o repatriamento de todos os refugiados do Burundi em 01 de Outubro”, anunciou o ministro do Interior tanzaniano, Kangi Lugola, citado pela AFP.

“Em virtude deste acordo, são 2.000 os refugiados que serão repatriados por semana até que todos os oriundos do Burundi deixem a Tanzânia”, disse o ministro, contactado pelo telefone.

Segundo Lugola, estão na Tanzânia actualmente cerca de 200 mil refugiados burundianos que vivem em campos, na região de Kigoma (noroeste).

O ministro Lugola e o seu homólogo do Burundi, Pascal Barandagiye, deslocaram-se no domingo a um dos campos de refugiados para anunciar esta decisão aos principais afectados.

Por sua vez, o Alto Comissariado, em comunicado enviado à AFP, considerou que embora tenha melhorado “a situação no Burundi não incentiva regressos”, lembrando ainda que centenas de pessoas continuam todos os meses a fugir do país e pedindo aos países da região para os acolher.

O Burundi está em crise desde que o Presidente, Pierre Nkurunziza, anunciou em Abril de 2015 a sua candidatura a um terceiro mandato. Foi reeleito em Julho desse ano.

A violência e a repressão que acompanharam a crise terão feito pelo menos 1.200 mortos e mais de 400.000 deslocados entre Abril de 2015 e Maio de 2017, segundo estimativas do Tribunal Penal Internacional, que abriu um inquérito.

Inforpress/Lusa/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos