TAAG: Retoma de ligação aérea entre Cabo Verde e Angola marcada para Abril

Cidade da Praia, 12 Mar (Inforpress) – A companhia aérea de Angola (TAAG) volta a operar, a partir de Abril, a rota Luanda – Sal depois de quase quatro anos de suspensão de voos com vista a racionalização de gastos.

A informação foi avançada esta segunda-feira pelo presidente da comissão executiva da companhia, Rui Carreira, em declarações à Agência AngolaPress, ANGOP, que salientou que este destino africano servirá de ponte para a cidade de Havana, capital de Cuba.

“Nesse ano de 2019, não vamos abrir nenhuma rota de longo curso. A TAAG vai voltar, sim, a voar para a ilha do Sal, tentando fazer a ponte Sal/Havana, com dois voos semanais, a partir de Abril”, precisou, asseverando que a companhia não tem a intenção de iniciar qualquer nova rota de longo curso este ano.

Informou, por outro lado que a companhia nacional de bandeira angolana, prevê abrir, em Junho, a rota para Lagos (Nigéria), por ser um mercado promissor, e posteriormente talvez para Accra (Ghana).

Em finais de 2018 o ministro dos Transportes de Angola, Ricardo Viegas D’Abreu, efectuou uma visita a Cabo Verde, tendo na ocasião adiantado que a ligação aérea Angola e Cabo Verde seria retomada ainda nesse ano, faltando apenas alguns acertos em termos técnicos para a concretização do acordo.

No entanto, na sua declaração, o ministro dos Transportes de Angola informou que os aviões da TAAG não irão fazer ligações para São Tomé e Príncipe como acontecia anteriormente.

Por seu turno, o ministro do Turismo cabo-verdiano, José Gonçalves, no âmbito da visita do seu homólogo angolano, confirmou ainda uma parceria comercial entre as companhias de Cabo Verde e Angola, adiantando, que a prioridade do destino dos primeiros voos será a ilha do Sal e que só num segundo momento vai-se pensar no destino Praia.

O ponto alto da visita do governante angolano ao arquipélago ficou marcado com a assinatura de um Memorando de Entendimento entre os dois ministérios dos transportes, válido por um período de cinco anos e que preconiza as áreas específicas e as formas de cooperação em prol do desenvolvimento de programas, projectos e acções concretos nos domínios dos transportes aéreos e marítimos.

CM/ZS

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos