Suspeitos detidos por ligação ao atacante de Marselha libertados sem acusações

Paris, 06 Out (Inforpress) – As cinco pessoas detidas por suspeita de ligação ao homem que esfaqueou mortalmente no domingo passado duas mulheres em Marselha, sul de França, antes de ser abatido por agentes militares foram libertadas, divulgou hoje uma fonte judicial.

Detidos na terça-feira em Marselha, os cinco suspeitos – quatro homens, com idades compreendidas entre os 32 e os 56 anos, e uma mulher de 35 anos – foram libertados “na ausência de elementos incriminatórios nesta fase”, precisou a mesma fonte.

Os suspeitos tinham sido colocados sob custódia policial por suspeita de associação a elementos terroristas.

As autoridades tentavam determinar se este grupo de cinco pessoas tinha fornecido apoio logístico ao atacante, identificado como Ahmed Hanachi, um tunisino de 29 anos.

A fonte falou sob anonimato, uma vez que a investigação policial ainda está a decorrer.

No último domingo, Ahmed Hanachi esfaqueou duas jovens junto à principal estação ferroviária de Marselha.

Antes de perpetrar o ataque, o atacante gritou em árabe “Allah Akbar” (“Deus é Grande” em português).

O homem seria abatido por militares da operação antiterrorismo Sentinela, accionada pelo governo francês após os atentados de Janeiro (contra o jornal satírico Charlie Hebdo) e de Novembro de 2015 em vários locais de Paris.

O ataque em Marselha seria reivindicado no mesmo dia pelo grupo extremista Estado Islâmico (EI).

As autoridades francesas e tunisinas afirmaram que não conseguiram determinar até ao momento se o atacante era radicalizado e tinha uma eventual ligação ao grupo extremista.

Lusa/Fim

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos