Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Suspeita de nova praga leva autoridades a criar “task-force” e elaborar plano de acção

 

Cidade da Praia, 14 Jul (Inforpress) – O Ministério de Agricultura e Ambiente suspeita da chegada ao arquipélago de uma praga “muito mais devastadora e preocupante”, conhecida por lagarta-de-cartucho-de-milho, ou cientificamente por “spodoptera frugiperda”, pelo que alerta os agricultores a tomarem precauções.

O anúncio foi feito hoje em conferência de imprensa, na Cidade da Praia, pelo director-geral da Agricultura e Ambiente, José Teixeira e pela presidente do Instituto Nacional de Investigação e Desenvolvimento Agrário (INIDA), Ângela Moreno.

“Este ano, para além dos habituais bio-degradadores que normalmente surgem durante o período das chuvas, Cabo Verde enfrenta o surgimento de uma nova praga muito mais devastadora que nos preocupa”, disse José Teixeira quando abordava a campanha agrícola e fitossanitária, que inclui o seguimento e avaliação do ano agrícola 2016-2017.

Para o controlo desta praga, afirmou que o Governo, em articulação com os parceiros internacionais, nomeadamente a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) e a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (EmBrapa), criou um “task-force” e elaborou um plano de acção.

“Logo, que nós inteiramos do suposto surgimento dessa praga em Cabo Verde (…), solicitamos um encontro com o chefe da Divisão da FAO para assuntos ligados à protecção vegetal”, informou, acrescentado que receberam toda a garantia para ajudar o arquipélago nesse desafio, que é também regional.

Já a presidente do INIDA falou do surgimento da “suposta desconfiança” de que há uma nova praga no país, pois fez questão de realçar que a mesma será confirmada ou não, nos próximos dias.

“Ela tem sido uma das pragas muito tímida a nível mundial, sobretudo nas Américas. Surgiu no continente americano e hoje quase todos os países deste continente sofrem com esta praga, chegou a África em 2016, detectado pela primeira vez em Nigéria”, explicou.

A presidente do INIDA adiantou que o ministério já está em contacto com outras instituições africanas com competência para declarar se Cabo Verde tem ou não a praga.

“De todas as formas, as características são completamente iguais ou muito parecidas e brevemente, poderemos confirmar, absolutamente, se já temos esta praga”, enfatizou.

Para Ângela Moreno, esta praga é “inquietante”, uma vez que ataca as plantas do princípio até o fim, ou seja, desde o crescimento, a floração até a fortificação. Por isso, avançou que caso se confirmem as suspeitas, serão causados “sérios danos”.

Considerou ainda que, este ano, as preocupações por parte das autoridades serão redobradas, visto que a lagarta-de-cartucho-de-milho é uma praga que gosta muito do milho e, em Cabo Verde, esta cultura é muito atacada por outros tipos de insectos.

“Spodóptera frugiperda”, conhecida também como “chenille légionnaire”, é uma praga que ataca sobretudo a noite a mais de 100 plantas pertencentes a mais de 27 espécies diferentes.

Ribeira Grande de Santo Antão, São Domingos, Calheta, de São Miguel, São Lourenço dos Órgãos e Santa Catarina (Santiago), são algumas das localidades onde há suspeita dessa praga.

AF/CP

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos