Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Sokol2017 avança com proposta para autonomia local de São Vicente e pede diálogo com os sanvicentinos (c/áudio)

Mindelo, 05 Jul (Inforpress) – O Sokols2017 lançou hoje uma proposta para a criação de um Estatuto Especial Político Administrativo, com “respeito à Constituição e unicidade do País”, com a câmara e a assembleia municipal a transformarem-se, respectivamente, em governo e parlamento regional.

A proposta foi anunciada pelo líder do movimento cívico, Salvador Mascarenhas, em conferência, no Mindelo, para marcar a passagem do 46º aniversário da Independência Nacional, que se celebra hoje, e cujo foco foi o centralismo e a autonomia das ilhas.

Conforme a mesma fonte, a proposta evitaria a duplicação de despesas e criação de conflitos de poder e de competência intra-regional, até porque, sintetizou, sendo São Vicente uma ilha/cidade, com uma única câmara municipal, a população encontra-se “engajada nesta mudança”, pelo que pede ao Governo para dialogar com os sanvicentinos na procura de uma solução.

Nesta proposta do Sokols2017, segundo Salvador Mascarenhas, o Governo central seria representado por um representante da República, que fiscalizaria a constitucionalidade das leis regionais, representante da soberania e representante especial do Presidente da República, que o nomearia e exoneria, ouvindo o Governo da República.

“A assembleia regional seria eleita por sufrágio universal directo e secreto com listas mistas (uninominais e partidárias), aumentando a participação da sociedade civil”, concretizou Salvador Mascarenhas.

Teria competência para aprovar o orçamento regional, o plano de desenvolvimento económico e social bem como adaptando o sistema fiscal nacional às especificidades da região, podendo ainda apresentar propostas de referendo regional e legislar em certas matérias “não reservadas aos órgãos da soberania nacional”.

No modelo que conduziria ao Estatuto Especial Político Administrativo de São Vicente, a Sokols2017 propõe ainda que o presidente do governo regional seja nomeado pelo representante da República, em função dos resultados eleitorais para a assembleia regional, competindo ao governo regional, para além das funções executivas, aprovar os decretos regulamentares regionais que forem necessários.

É que, segundo o líder do Sokols2017, a democracia cabo-verdiana “exige o elevar de patamar” e a autonomia das ilhas será “sem dúvidas” esse salto para a sua evolução, adaptando o sistema de gestão territorial à natureza arquipelágica do País.

Da mesma forma, considerou a mesma fonte, a autonomia das ilhas irá favorecer o desenvolvimento das potencialidades de cada ilha, que serão representadas “por igual” numa câmara alta, de onde será gerado o Orçamento do Estado, “sempre respeitando a unicidade da República e a Constituição”.

“Só assim Cabo Verde avançará num caminho harmonioso, equilibrado e justo”, sintetizou Salvador Mascarenhas, que declarou que o projecto encontra-se ainda em preparação e será apresentado posteriormente na sua plenitude.

AA /ZS

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos