Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Sociedade Cabo-verdiana de Música quer reforçar e consolidar plataformas digitais e registo de autores e artistas

Cidade da Praia, 13 Mai (Inforpress) – A presidente da Sociedade Cabo-verdiana de Música (SCM), Solange Cesarovna, disse hoje que pretendem apostar no reforço e consolidação da instituição, passando pelas plataformas digitais, nomeadamente o portal dos autores e artistas e registo de autores e artistas.

Solange Cesarovna falava à Inforpress sobre o funcionamento e o futuro da SCM, um dos temas previstos para as duas assembleias-gerais de 2021 que ocorrem simultaneamente nesta sexta-feira.

Segundo esta responsável, a SCM, para o futuro, vai apostar em dois “aspectos fundamentais”, ou seja, nomeou, continuar a trabalhar de forma “comprometida e firme”, mas também “criativa” para a consolidação da instituição que tem três pilares como foco, o registo de autores e artistas no domínio da música, a cobrança dos direitos autorais e a respectiva distribuição dos direitos autorais.

Para isso, frisou, devido à crise pandémica que tem vindo a afectar o sector cultural desde 2020, a SCM pressupõe reforçar estas competências, o que implica também uma multiplicação de esforços e de estratégias e multiplicação de parcerias com os seus parceiros públicos e privados.

Porque, conforme disse, para além de continuarem a implementar os objectivos preconizados, terão que fazer com que a retoma das cobranças dos direitos autorais aconteça no ritmo da “retoma paulatina” das actividades económicas, culturais e turísticas, garantindo a “contínua observação” de obrigatoriedade legal do pagamento dos direitos de autor pela utilização da propriedade intelectual em Cabo Verde.

Ainda sobre o funcionamento e o futuro da SCM, a fonte revelou que a mesma se configura para a consolidação do sistema tecnológico do departamento de operações, após os “ganhos excepcionais” de parceria com a Organização Mundial da Propriedade Intelectual (OMPI) para instalação do software Wipo Connect.

“O nosso trabalho vai ser para consolidar este departamento tecnológico com a concepção do portal de autores e artistas da SCM”, sublinhou Solange Cesarovna, realçando que o portal será essencial para complementar a plataforma tecnológica já existente.

O portal, conforme elucidou a presidente daquele organismo, irá facilitar na celeridade da declaração das obras, das gravações e nos pedidos de licenciamento pelos parceiros e utilizadores de música.

Com estes serviços disponibilizados no portal, Solange Cesarovna disse acreditar que, com a retoma do sector, irá “facilitar” na cobrança dos direitos autorais, aumentar o ritmo das cobranças e no “aumento exponencial” nos valores das cobranças.

As acções formativas são também aposta da SCM, porque, conforme assegurou a presidente, a instituição vai continuar a ser uma escola no País na área dos direitos autorais, pelo que irão estender-se para todas as ilhas.

Referente ao licenciamento das plataformas digitais em que a organização “já está empenhada” na sua concretização, ao integrar no hub do licenciamento digital africano, Solange Cesarovna destacou os contratos assinados com as plataformas Youtube, Spotify e Tiktok, de entre outros, ressaltando que pretendem “multiplicar e consolidar” estes contratos para o ano de 2021.

TC/AA

Inforpress/Fim 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos