Socialização do regime jurídico que define as bebidas alcoólicas em Cabo Verde vai contra as orientações do Governo

Cidade da Praia, 29 Out (Inforpress) – O Governo esclareceu hoje que a forma como se está a fazer  a socialização da proposta do regime jurídico que define as bebidas alcoólicas em Cabo Verde vai contra as suas orientações.

“A forma como a socialização da proposta está a ser feita vai contra as orientações do Governo, além de que a mesma está a causar alguns ruídos junto aos produtores da aguardente nacional”, lê-se na nota a que a Inforpress teve acesso, acrescentando que a bebida alcoólica nacional, tradicionalmente conhecido por grogue, é produzido “único e exclusivamente de cana-de-açúcar”.

Assim, o executivo de Ulisses Correia e Silva  desmente que a proposta sobre o regime jurídico que define as bebidas alcoólicas e suas categorias contemple a utilização do açúcar refinado na produção do grogue.

“O Governo comunica que a produção de aguardente nacional, conhecido tradicionalmente por grogu/grogue, tem por matéria prima apenas e exclusivamente a cana-de-açúcar, conforme aprovado pelo decreto-lei nº 11/2015 de 12 de Fevereiro publicado na I Serie do BO nº 11”, lê-se o comunicado.

A imprensa tem veiculado informações segundo as quais a proposta do regime jurídico que define as bebidas alcoólicas em Cabo Verde prevê a utilização do açúcar refinado como matéria prima na destilação.

LC/AA

Inforpress/Fim

 

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos