SOCA sem subsídio do Ministério da Cultura estipulado pela lei desde Outubro de 2016 – presidente

Cidade da Praia, 06 Abr (Inforpress) –  O presidente da Sociedade Cabo-verdiana Autores (SOCA), Dany Spínola, disse hoje, na Cidade da Praia, que a instituição não recebe do Ministério da Cultura, desde Outubro de 2016, o subsídio estipulado por lei.

Em conferência de   imprensa   para analisar a actual conjuntura da associação e anunciar as recomendações da assembleia-geral extraordinária de 15 de Março, o responsável esclareceu que a lei determina o   envio de 40 por cento da receita arrecadada para as sociedades de gestão colectiva dos direitos de autor e conexos.

Por isso, disse que a direcção vai enviar   mais uma nota ao ministro da Cultura, solicitando a transferência do montante devido à SOCA   pela compensação da cópia provada, conforme estipulado pela lei.

Adiantou, por outro lado, que a SOCA vai, a partir deste mês, recomeçar o processo de cobrança    dos direitos dos autores, uma vez que a instituição possui toda a legitimidade para fazer essa cobrança e que não precisa de protocolos especiais para o efeito.

“Nós vamos cobrar para depois fazer a distribuição para os trabalhos que forem usados. E estão   a pagar pelo usufruto do trabalho dos outros”, notou.

Danny Spínola   indicou que há uma tabela mínima de execução pública que define as taxas de cada organização que utiliza o trabalho dos autores e artistas, advertindo que caso contrário esse pagamento vai ser feito coercivamente.

A assembleia-geral da SOCA recomendou, ainda, a marcação de uma audiência com o primeiro-ministro para informar sobre o “procedimento incorreto” do ministro da Cultura ao devolver à origem uma nota da associação que solicitava o subsídio ou depósito relativo à cópia provada.

OM/AA

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos