Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Situação de Calamidade: Boa Vista e São Vicente lideram em estabelecimentos comerciais encerrados por violação da lei

Cidade da Praia, 02 Jun. (Inforpress) – Boa Vista e São Vicente são as ilhas com maior número de estabelecimentos comerciais encerrados pelo SNPCB por violação do cumprimento das normas e medidas sanitárias, na sequência da situação de calamidade decretada no País.

Em conferência de imprensa realizada esta manhã no gabinete de crise do Serviço Nacional de Protecção Civil e Bombeiros (SNPCB), na Praia, para balanço, o presidente interino clarificou que no período entre 30 de Abril e 30 de Maio foram fiscalizados 6.995 estabelecimentos comerciais, com 225 destes encerrados na Boa Vista, seguido-se São Vicente com 164, ao qual se segue a cidade da Praia com 156.

Bares, restaurantes e similares, dos quais cinco mil foram notificados, constituem o lote dos 635 estabelecimentos comerciais encerrados.

Hélio Semedo revelou que 887 estabelecimentos comerciais de consumo de bebidas, nomeadamente bares e similares violaram o horário do serviço estipulado pela lei, tendo, de igual forma, avançado que foram remetidas 27 coimas à Inspecção Geral das Actividades Económicas (IGAE) para aplicação das medidas legais como a cassação de licença de funcionamento.

Semedo disse ainda que 882 pessoas foram multadas pela Polícia Nacional “pelo não uso de máscaras faciais”, com maiores casos de incidência de incumprimento registados nos municípios do Sal (137), seguido de São Vicente (100), Ribeira Grande de Santo Antão (68), Paul (59), Praia (53), Santa Catarina de Santiago (42) e São Miguel (21).

Hélio Semedo afiançou igualmente que as medidas restritivas adoptadas pelo Governo e as acções empreendidas pela equipa multidisciplinar constituída por técnicos, inspectores e efectivos da IGAE, da ERIS, das delegacias de saúde, da IGT, da Polícia Nacional, das Forças Armadas e guardas municipais surtiram efeitos imediatos no rompimento da cadeia de transmissão do vírus Sars-CoV-2 no seio da comunidade.

Quanto a medidas adoptadas no quadro da prorrogação da situação de calamidade em todo o território cabo-verdiano, por mais 30 dias, frisou que no novo plano de acção de fiscalização o SNPCB vai apertar a vigilância das principais praias balneares, sobretudo nas ilhas de Sal, da Boa Vista e do interior de Santiago.

Prometeu ainda a fiscalização e proibição de realização de festas particulares, deixando claro que as festas matrimoniais passem a ser recomendadas a sua realização num contexto familiar, bem como a fiscalização no cumprimento da quarentena domiciliar, em coordenação com os centros de saúde e “mão dura” a todos os cidadãos e operadores económicos pelo incumprimento das medidas e normas de segurança sanitária.

SR/ZS

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos