Sistema Nacional de Saúde foi reforçado nos últimos cinco anos com cerca de 250 novos enfermeiros – Governo

Cidade da Praia, 12 Mai (Inforpress) – O Sistema Nacional de Saúde (SNS) foi reforçado nos últimos cinco anos com cerca de 250 novos enfermeiros, e, segundo o secretário de Estado Adjunto, dados apontam que para cada dez mil cabo-verdianos há 17 enfermeiros.

Evandro Monteiro fez estas afirmações em declarações à imprensa, em representação do ministro da Saúde, ao falar de investimentos para a classe, à margem do acto central do Dia Internacional do Enfermeiro, comemorado hoje.

Na ocasião, considerou os enfermeiros como “um dos pilares fundamentais” de todo o sistema e, referindo-se às reivindicações da classe, afirmou que são “legítimas e necessárias” e que “reforçam cada vez mais” o sistema.

Realçou os ganhos conseguidos, ao mesmo tempo que mostrou toda a abertura da parte do Ministério da Saúde no sentido de aproximar valores.

“O próprio Ministério da Saúde, o Sistema Nacional da Saúde, nos últimos anos, fez investimentos importantes relativamente a classe em número. Repara que os dados que temos do último inquérito dos recursos humanos em saúde espelham que o sistema foi reforçado nos últimos cinco anos com quase 250 novos enfermeiros”, indicou.

Com isto, acrescentou, o rácio médico/enfermeiro passou de 1.5 para 2.2 enfermeiros por médico em cinco anos, de 2015 a 2020, a nível do rácio enfermeiro/população, por cada dez mil habitantes em 2015, havia aproximadamente doze enfermeiros, e mais actualmente, dados de 2020 apontam que há 17 enfermeiros para 10 mil cabo-verdianos.

Confrontado, que segundo a classe esse número continua a ser insuficiente, respondeu que seguramente todo o processo de desenvolvimento, seja qualitativo assim como quantitativo, é progressivo no tempo.

“São investimentos importantes, são dados significativos, mas não estamos a falar só em número, estamos também a falar na qualificação técnica, repara que nos últimos anos mais de 100 enfermeiros fizeram complemento da licenciatura em Cabo Verde, co-financiado pelo próprio sistema, pelo próprio Governo, em 40 por cento % das propinas”, indicou.

De entre os ganhos relativos a classe dos enfermeiros, sublinhou o facto de mais de trinta enfermeiros de todo o Cabo Verde terem frequentado formação de pós-graduação/mestrados em gestão e administração em saúde, da mesma forma que congratulou pelo facto de existir actualmente enfermeiros a desempenharem cargos importantes na administração de estruturas hospitalares.

“Nós precisamos de enfermeiros cada vez mais capacitados e hábil tecnicamente para podermos reforçar o próprio sistema. Falamos da atenção primária em saúde, das respostas hospitalares e toda a memória envolvente no sistema”, reforçou.

Neste sentido, considerou ser importante a criação da própria classe da ordem dos enfermeiros para se discutir em sinergias e no reforço de trazer mais e melhor saúde para todos, tendo avançado que o funcionamento está para breve, faltando sobretudo, a oficialização.

O evento promovido pelo Hospital Agostinho Neto, na Cidade da Praia, serviu também para homenagear os enfermeiros cabo-verdianos, em especial para os reformados nos últimos dois anos.

O Dia Internacional do Enfermeiro celebrado anualmente a 12 de Maio, em memória ao nascimento de Florence Nightingale, a fundadora da enfermagem moderna, visa sensibilizar para os desafios que estes profissionais de saúde enfrentam.

ET/AA

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos