Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Sistema de garantia de crédito para bens móveis é passo positivo na melhoria do ambiente de negócios – Jorge Spencer Lima

Cidade da Praia, 20 Set (Inforpress) – O presidente da Câmara de Comércio do Sotavento (CCS), Jorge Spencer Lima, disse hoje que o novo sistema de garantia de crédito para bens móveis é um “passo positivo” na melhoria do ambiente de negócios em Cabo Verde.

O responsável falava na cerimónia de apresentação do anteprojecto de lei de penhora de bens móveis que permite que os bens móveis sejam também apresentados com garantia para o acesso ao crédito bancário.

“A apresentação desse código de penhora de bens móveis é mais uma etapa no crescimento de condições em termos legais para que o ambiente de negócios se torne de forma global competitivo”, disse.

Conforme frisou, apesar das informações que dão contam do excesso de liquidez nos bancos, as empresas continuam a enfrentar dificuldades no acesso ao crédito, o que demonstra, na sua perspectiva, que esse excesso de liquidez não é transmitido ao mercado

“Os empecilhos continuam a ser imensos, as dificuldades continuam a existir e as empresas continuam a não ter acesso rápido e fácil ao crédito. Portanto as garantias solicitadas ultrapassam as capacidades das empresas, sobretudo quando falamos de pequenas e medias empresas e as respostas muitas vezes levam tempo demais”, anotou.

Por isso mesmo considerou que esse código que permite que os bens móveis como viaturas e equipamentos passam ser apresentados como garantias vem de uma forma “muito clara” trazer um “aspecto positivo” na consolidação e desenvolvimento das empresas nacionais.

Jorge Spencer Lima lembrou que o tecido empresarial cabo-verdiano é composto acima dos 90 por cento (%) por pequenas e médias empresas, e por isso considerou que é uma medida que vem intervir num espaço “muito grande”.

“Deverá ter efeitos positivos numa camada muito necessitada, sobretudo, deverá encorajar as pessoas a investirem e encontrar momentos para que as pequenas e médias empresas possam evoluir gradualmente de uma fase imediatamente superior”, sustentou.

Em regra, nos processos de créditos, os bancos pedem a penhora ou hipoteca sobre bens imóveis porque funcionam com o princípio da confiança de que os créditos serão reembolsados.

Então o Governo quer com este diploma introduzir os bens móveis também como garantia no acesso ao crédito.

“Por exemplo se uma empresa tiver um computador, um estoque de mercadorias equipamentos porque é que eles não servem para dar de garantia aos bancos? e este projecto de diploma trata desta matéria e para isso é preciso que os bens móveis estejam registado e o que penhor seja publicitado”, explicou o consultor do Ministério das Finanças, Simão Monteiro

 

O projecto de lei prevê a criação de Plataforma Web do Código onde os bens apresentados como garantia possam estar registados e todos possam, por exemplo saber, que uma pessoa ou uma empresa fez um empréstimo X e que o bem móvel, por exemplo uma viatura, está sob a penhora.

MJB/AA

Inforpress/fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos