SISCAP pede intervenção do Governo para resolver situação dos trabalhadores da empresa Justino Lopes

Cidade da Praia, 19 Fev (Inforpress) – O vice-presidente do Sindicato da Indústria, Serviço, Comércio, Agricultura e Pesca (SISCAP), Francisco Furtado, pediu hoje a intervenção do Governo para resolver a situação dos trabalhadores da empresa Justino Lopes, que se encontram em “situação difícil”.

Francisco Furtado fez este pedido durante uma conferência de imprensa, apontando que a covid-19 provocou impactos negativos na empresa, principalmente, a nível financeiro.

Nesta linha, explicou, que os efeitos sobre as empresas têm sido nefastos e exigiu do Governo medidas de mitigação junto à banca, com facilitação de acesso ao crédito e moratórias, além do programa da suspensão dos contratos de trabalho.

Entretanto, revelou, alguns sectores ficaram à margem dessas medidas, como é o caso do sector agrícola.

“A situação é particularmente difícil na empresa que tem mais de 100 trabalhadores ao seu serviço sendo, 79 sócios que provêm da extinta empresa Justino Lopes”, referiu.

Conforme o responsável, a empresa, cuja privatização foi há muito anunciada, está em “banho-maria” e enfrenta enormes dificuldades com o financiamento das suas actividades, pois, atestou, após o Executivo ter anunciado a privatização, deixaram de poder contar com o crédito dos fornecedores.

“Assim, torna-se importante uma intervenção do Governo no sentido de apoiar essas famílias e a empresa enfrentar os efeitos da pandemia”, salientou.

Por fim, informou que o Governo recebeu uma proposta de financiamento apresentada pela empresa, pelo que o SISCAP pede celeridade na decisão para que sejam protegidos os empregos e o rendimento a centenas de famílias.

HR/HF

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos