Sindprof pede reclassificação dos professores que concluíram formação de 2016 a 2019

Mindelo, 01 Out (Inforpress) – O Sindicato Democrático dos Professores (Sindprof) pediu hoje “um olhar mais humano” sobre os professores que concluíram a formação de 2016 a 2019, exigindo do Ministério da Educação a reclassificação desses docentes.

De acordo com uma nota do sindicato a que a Inforpress teve acesso, há muitas pendências por resolver e para se ter uma classe docente empenhada e motivada é urgente, que o Governo, através dos Ministérios da Educação e das Finanças dêem continuidade à resolução das pendências.

Uma dessas pendências, adiantou o Sindprof, é a necessidade de reclassificação dos professores que concluíram a sua formação de 2016 a 2019.

“São professores que investiram muito durante o percurso académico e muitos deles, ainda, com dívidas na banca. Neste sentido, pedimos ao ME um olhar mais humano sobre a situação desses professores, de modo que possam estar mais motivados”, sustentou o Sindprof.

Em Agosto deste ano, um grupo de professores entregou, em São Vicente, um abaixo-assinado com 27 assinaturas exigindo a reclassificação com atraso, em alguns casos, de mais de cinco anos.

O porta-voz do grupo, Fidélio Mota, disse à Inforpress que os professores que assinaram o documento têm a licenciatura, e na sua maioria, desde 2016. Mas passados cinco anos ainda não viram a situação regularizada, por isso, estão a reivindicar para ver se a reclassificação sai no Boletim Oficial (BO).

CD/ZS

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos