Sindicatos dos professores preparam frente comum de luta unida pelos direitos da classe

Cidade da Praia, 23 Jan (Inforpress) – Os três sindicatos representativos dos professores vão estar reunidos no dia 03 de Fevereiro, na Praia, para acertar estratégias, para numa única voz, reivindicar o cumprimento dos compromissos assumidos pelo Ministro da Educação para com a classe docente.

A iniciativa desta reunião partiu do presidente do Sindicato dos Professores da ilha de Santiago (Siprofis), Abraão Borges, que propõe uma frente única na luta pelos direitos da classe e uma linguagem comum nas reivindicações já que, conforme salientou, os problemas dos professores são comuns.

“Tendo em conta que os problemas são comuns, portanto é esquecer o protagonismo individual e avançar para lutas comuns a favor da classe. Na minha opinião não faz sentido estarmos a fazer lutas diferentes para defender a mesma classe”, sustentou.

Abraão Borges adiantou que a ideia é que doravante as negociações com o Ministério da Educação sejam feitas em encontros comuns com todos os sindicatos por forma a evitar a tentação de divisão dos sindicatos e para enfraquecer a luta, com prejuízos para os professores.

“Neste caso, nós queremos uma luta de classe e com união de todos”, disse adiantando que os dirigentes do Sindicato Nacional dos Professores (Sindep) e do Sindicato Democrático dos Professores (Sindprof) já manifestaram abertura para a união a favor da classe docente.

De entre as reivindicações em cima da mesa, e que, segundo Abraão Borges, ficou o compromisso do ministro da Educação para resolução em 2023, estão a nova grelha salarial para os professores de todos os níveis de ensino, a promoção automática de todos os professores e a reposição da justiça em relação à atribuição de subsídios pela não redução da carga horária dos professores lesados ao longo do tempo.

Os sindicatos estão ainda a reivindicar a revisão da lei de reforma para os professores, melhorar a carreira das monitoras do pré-escolar, a reclassificação de todos os professores com nova formação e a resolução de todas as pendências dos professores reformados.

Querem ainda a melhoria na carreira dos professores mestres e doutores e a resolução dos problemas dos funcionários do Ministério da Educação de uma forma generalizada.

Após a reunião do dia 03, os sindicatos devem solicitar um encontro com o ministério com a presença de todos os três sindicatos (Siprofis, Sindep e Sindprof) por forma a conhecer o cronograma de resolução das pendências ao longo do ano de 2023.

“Como já está aprovado o orçamento de 2023 e então, queremos conhecer aquilo que já está garantido e o cronograma para respostas às reivindicações. Como sabemos 2023 é até Dezembro, mas não vamos esperar até ao último mês”, disse avisando que os sindicatos não vão aceitar que o Governo continue a adiar a resolução dos problemas dos professores.

MJB/CP

Inforpress/fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos