Segurança na Boa Vista deve ser acoplada à vertente ambiental – presidente da Comissão especializada de Economia

 

Cidade da Praia, 11 Jul (Inforpress) – O presidente da Comissão Especializada de Economia, Ambiente e Ordenamento do Território, no Parlamento, Luís Carlos Silva disse hoje que à segurança, na ilha da Boa Vista, deve ser também “acoplada” a vertente ambiental.

“A realidade de ilha turística em construção coloca-nos perante uma imensidão de desafios, sobretudo quando este crescimento acontece com relativa rapidez”, indicou o deputado que preside à Comissão Especializada de Economia, Ambiente e Ordenamento do Território (CEEAOT) do Parlamento, para quem o problema do sector estará na capacidade do país em “responder com competência” e “políticas públicas” que permitam acompanhar e “antever a velocidade do crescimento”.

Segundo ele, o Governo traçou como um dos objectivos alcançar um milhão de turistas por ano durante a legislatura.

“Grande parte deste objectivo vai acontecer na ilha da Boa Vista”, precisou o parlamentar eleito nas listas do Movimento para a Democracia (MpD-poder) e ao mesmo tempo pergunta se Cabo Verde está a preparar as suas infraestruturas aéreas, portuárias, rodoviários e saneamento para este desafio.

Carlos Luís Silva mostra-se ainda preocupado no que concerne às respostas em termos de solução para a habitação em relação à demanda que o sector turístico vai gerar na Boa Vista que, segundo ele, conta com “52% (por cento) de praias de areia branca existentes em todo o país”.

Na perspectiva do deputado, as ilhas cabo-verdianas, no seu todo, constituem um “tesouro no Atlântico” em relação ao qual “temos a obrigação de proteger”.

“Temos de ser sábios na forma como fazemos o uso de isto tudo, sem nunca pôr em causa a sua sustentabilidade”, apelou Luís Carlos Silva, referindo-se à exploração dos recursos naturais ligados ao turismo.

Recentemente, os deputados integrantes da CEEAOT, durante sua estada na Boa Vista, além  de visitas, promoveram um fórum sobre o turismo, onde a questão do défice habitacional na ilha e a segurança estiveram no centro das atenções.

O presidente da CEEAOT deixou transparecer que a problemática da segurança é uma das grandes preocupações e que ao longo do debate se apontou a elevação da actual esquadra policial local à categoria de comando como um dos caminhos para minimizar o problema da segurança, já que uma estrutura do género é dotada de mais recursos humanos e materiais.

A criação da Polícia Municipal é, também, apontada pelo deputado Luís Carlos Silva como das soluções que se afiguram no quadro do combate à insegurança na “ilha das dunas”.

Reconhece, por outro lado, que o Programa Casa para Todos, contemplando a construção de cerca de 700 fogos, “vai resolver, em parte, a questão do défice habitacional na Boa Vista”.

Durante a sua estada na Boa Vista, os deputados da CEEAOT visitaram vários serviços sediados na ilha, além do bairro Boa Esperança (zona das barracas) e o complexo habitacional “Casa para Todos”.

LC/FP

Inforpress/Fim

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos