Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Secretário de Estado aconselha as instituições superiores a uma melhor orientação para ofertas formativas

Cidade da Praia, 03 Jul (Inforpress) – O secretário de Estado Adjunto do Ministro de Estado aconselhou as instituições do ensino superior a ter em conta as reais necessidades do mercado para a abertura dos cursos de licenciaturas, de forma que os estudantes tenham melhor orientação.

Carlos Monteiro fez estas considerações na abertura do I Fórum Cabo-verdiano do Desporto Universitário, que se realiza na Biblioteca Nacional, na Cidade da Praia, com o propósito de reflectir sobre os desafios do sector, numa iniciativa da Federação das Associações de Estudantes Universitários de Cabo Verde (FAEUCV).

O governante considerou que esta “batalha” deve contar com o empenho da FAEUCV de modo a mudar o “status quo” que se verifica no país, ao mesmo tempo que alertou a federação a debruçar-se sobre as reais expectativas dos candidatos a estudantes universitários para o mercado do trabalho e saber o que esperam obter da universidade e desta transmissão de conhecimentos.

Isto por entender que, percebendo esta estratégia, a federação estará a lutar para intervir e influenciar no debate que se faz em torno de planos curriculares de diversos cursos que actualmente estão a ser abertos nas universidades e faculdades cabo-verdianas, inclusive para a área do desporto.

Se fossem feitos estudos de mercado antes de serem abertos estes cursos e de serem induzidos depois os estudantes a se inscreverem neles, poderíamos ter uma melhor orientação, com ofertas formativas, consoantes as reais necessidades do mercado, indicou.

O Ministério do Desporto, observou, enquadra o desporto universitário na perspectiva da massificação do desporto, de forma que esta actividade esteja estendida a todos os bairros.

Já o presidente da FAEUCV mostrou a sua preocupação “pela ausência quase que total da participação dos estudantes nas decisões das instituições do ensino superior”, alegando que o “tão fraco envolvimento” mostra que espírito do voluntariado se encontra em decadência por falta de estímulo a estas actividades.

Adilson Neto avançou que o desporto se afigura como instrumento catalisador à formação e à introdução da cultura universitária, já com as suas bases legais na lei, mas que, dado a sua particularidade, envolve todas as modalidades desportivas, pelo que prometeu trabalhar o desporto universitário de forma integrada, envolvendo todas as intituições e partes envolvidas.

O fórum realiza-se durante o dia de hoje e abarca temáticas como “O desporto universitário na perspectiva do Ministério da Educação”, “Enquadramento legal do desporto universitário”, “O financiamento do desporto universitário”, “A internacionalização do desporto Universitário cabo-verdiano”, entre outras.

O término dos trabalhos está previsto para esta tarde com a leitura da I Declaração do Desporto Universitário Cabo-verdiano, em cerimónia que sucede a assinaturas de memorando de entendimento entre a FAEUCV e as federações desportivas nacionais, e a Federação das Associações dos Desportos Universitário de Portugal.

SR/CP

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos