Óbito: SCM consternada com desaparecimento físico de Titina Rodrigues

Cidade da Praia, 06 Mai (Inforpress) – A Sociedade Cabo-verdiana de Música (SCM) manifestou hoje a sua “profunda tristeza” pelo desaparecimento físico da artista Titina Rodrigues, em Lisboa e apresenta sentidas condolências à família enlutada e à comunidade cultural e artística cabo-verdiana pela “perda irreparável”.

“É com muito pesar e profunda tristeza que a Sociedade Cabo-Verdiana de Música, vem através deste meio, apresentar as mais sentidas condolências à família enlutada e à nação cabo-verdiana, pelo desaparecimento físico da artista Titina Rodrigues”, refere a SCM em nota de imprensa enviada à Inforpress.

Lê-se na missiva que “é com imensas saudades que a família musical cabo-verdiana, residente no País e na diáspora, hoje se despede, com o coração partido e os olhos cheios de lágrimas, da grande e potente voz, da senhora da morna, Titina Rodrigues”.

A malograda, de acordo com a nota, “levou ao palco a mensagem de muitos autores e compositores cabo-verdianos, principalmente, dos autores da nossa morna, que hoje é Património do Mundo”.

Albertina Alice dos Santos Rodrigues Oliveira de Almeida de nome artístico, Titina Rodrigues, nasceu na cidade do Mindelo na ilha de São Vicente.

“Titina cantava ao colo do grande mestre da música cabo-verdiana, B. Leza, quando tinha apenas 6 anos de idade, com 12 anos de idade começou a cantar em público e a ser transmitida nas estações de rádio. Gravou seu primeiro single quando tinha 15 anos”, salientou a comunicação da SCM.

Titina Rodrigues nasceu em 27 de Novembro de 1947 em Mindelo, São Vicente, e faleceu aos 75 anos, hoje, 6 de Maio de 2022 em Lisboa.

SR/ZS

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos