Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

SCM almeja que compositores cabo-verdianos possam viver exclusivamente desta profissão

Cidade da Praia, 15 Jan (Inforpress) – A presidente da Sociedade Cabo-verdiana de Música (SCM), Solange Cesarovna, disse hoje que o sonho maior desta entidade é que a profissão do compositor cabo-verdiano seja dignificada e possam viver exclusivamente da sua composição.

Estas declarações foram feitas à Inforpress no âmbito do Dia Mundial do Compositor que se celebra hoje, 15 de Janeiro.

Para Solange Cesarovna, o compositor cabo-verdiano vem ao longo da história de Cabo Verde dando o seu contributo “imprescindível” para que hoje o arquipélago tenha obra artística musical “muito rica, muito bonita e que orgulha toda a classe criadora e a nação cabo-verdiana”.

O sonho maior, desabafou, é que a profissão do compositor seja dignificada ao mais alto nível, “assim como ela merece”, no sentido do seu reconhecimento moral e patrimonial.

Esta entidade de gestão colectiva, segundo a sua presidente, tem trabalhado para que os compositores possam receber o seu salário pela utilização das suas obras musicais.

“Este é um desafio maior porque nós estamos neste momento a viver uma nova era de reconhecimento do compositor dos seus direitos, tanto morais, como patrimoniais, mas o nosso sonho maior é que o compositor cabo-verdiano possa viver exclusivamente da sua composição”, afirmou.

A mesma espera que os compositores possam exercer a sua profissão com todas as condições necessárias, e que orgulham de ter abraçado esta profissão e de ser “abençoado com este dom”.

Neste momento, que considerou de “menos bom” devido à situação da covid-19, defendeu que é necessário reconstruir as bases para o relançamento do sector cultural, e dar mais ênfase à importância do trabalho do compositor.

“Temos de estar unidos para que possamos acelerar todas essas legítimas reivindicações que fazemos através da SCM, em representação do compositor, para o reconhecimento dos seus direitos, mas que, principalmente, possamos em vida atribuir e pagar o salário do compositor que contribui de forma extraordinária para a grandeza da cultura cabo-verdiana”, rematou.

No âmbito da primeira distribuição tecnológica de direitos de autor da SCM, pelo sistema Wipo Connect, Solange Cesarovna informou que dos contemplados a  maioria  são autores e compositores, ou seja, cerca de 300.

AM/CP
Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos