Sarampo/Rubéola: Campanha nacional arranca esta quarta-feira para vacinar 44.850 crianças (c/áudio)

Cidade da Praia, 06 Nov (Inforpress) – O Ministério da Saúde, através do Programa Alargado de Vacinação, inicia quarta-feira, 07, e durante uma semana, uma campanha nacional de vacinação contra Rubéola e Sarampo, visando aumentar a cobertura a nível nacional de 95% para 100%.

A informação foi avançada à Inforpress pela coordenadora nacional do Programa Alargado de Vacinação, Evanilda Santos, segundo a qual a intenção é vacinar 44.850 crianças dos 9 meses a 4 anos 11 meses e 29 dias, população mais susceptível a estes tipos de enfermidades.

O evento visa, segundo Evanilda Santos, contribuir para a eliminação do Sarampo, Rubéola e síndrome de rubéola congénita no país e vai levar à rua cerca de 275 agentes vacinadores, 47 coordenadores e 38 supervisores para cumprir com a meta da campanha.

As equipas que estarão em sítios identificáveis em postos móveis, adiantou Evanilda Santos, deslocar-se-ão a jardins infantis e a sítios onde não existe postos sanitários e nem jardins infantis, pois, o objectivo é não deixar “nenhuma criança sem vacinar”.

“Em Cabo Verde face ao esforço do governo em vacinar todas as crianças, desde 2010 o país tem uma taxa a nível de Sarampo e Rubéola maior de 90 por cento (%) e há cerca de 5 anos que a nossa taxa situa-se à volta dos 95%”, disse, salientando por outro lado, que a pretensão é conseguir vacinar os 5% que faltam para alcançar os 100%.

Isso porque sublinhou, os 5% de crianças por vacinar serão susceptíveis de apanhar a doença caso entrar o vírus no país, o que pode aumentar o número de casos, visto que a vacina não imuniza a 100%, mas sim a 99,9%.

Ainda de acordo com a coordenadora nacional do Programa Alargado de Vacinação, de mil crianças vacinadas há sempre a tendência de duas ficarem não totalmente imunizadas o que pode pôr em risco o país.

Neste âmbito, Evanilda Santos apela a todos os pais a levar os filhos para serem vacinados, mesmo que já tenham sido vacinados no centro de saúde ou no exterior, pois, afirmou, “mal não faz, pelo contrário, só faz bem”.

Durante a semana de vacinação, a coordenação nacional do Programa Alargado de Vacinação tem no terreno pessoas a sensibilizar os pais para a importância da necessidade e do direito de cada pessoa a ser protegida contra doenças evitáveis por vacinação.

Cabo Verde é um dos países da região africana com a taxa mais elevada da cobertura de vacinação do Sarampo e Rubéola, e que tem em agenda a eliminação destas doenças até 2020.

Já o médico Luce Richard, que se encontra no país enquanto observador da Organização Mundial da Saúde (OMS) para a África de Oeste, disse que Cabo Verde é considerado exemplar pela sua “performance” em termos de programa e de cobertura de vacinação.

“Estamos, neste momento, a lutar pela eliminação do sarampo até 2020, pelo que Cabo Verde deve fazer esforços para melhorar a cobertura e conseguir a eliminação”, enfatizou.

Para o médico Ziao Antonie Marie Cyrrlled, do serviço regional da UNICEF para a África de Oeste e Central, a taxa de Cabo Verde a nível de cobertura de vacinação de Rubéola e Sarampo é “muito boa”, isso comparado a outros países da África.

“Apesar disso, o que queremos é que todas as crianças sejam vacinadas e que ninguém seja deixado para trás”, disse.

A campanha nacional de vacinação no país decorre, de 07 a 13 de Novembro, e pretende vacinar 44.850 crianças dos 9 meses a quatros anos 11 meses e 29 dias, visando uma taxa de cobertura à volta de 99 a 100%.

PC/ZS

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos