Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

São Vicente: Vereadores pedem ao presidente da câmara para se libertar da ideia de que querem o seu lugar (c/áudio)

Mindelo, 15 Jul (Inforpress) – Os vereadores da câmara de São Vicente eleitos pela UCID e PAICV pediram hoje ao presidente para se libertar da ideia que querem o seu lugar, pedindo-o que apresente a desprofissionalização à assembleia como uma moção de confiança.

Este pedido foi feito em conferência de imprensa na Câmara Municipal de São Vicente, pela voz de Anilton Andrade, que falou em nome do grupo constituído por cinco vereadores, sendo três da União cabo-Verdiana Independente e Democrática (UCID) e dois do Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV). 

“Ao falarmos a verdade o seu maior trunfo democrático foi ameaçar com desprofissionalização dos vereadores. Agora queremos ver. Os três poderes municipais funcionam numa lógica de separação de poderes”, questionou, lembrando que cada órgão, que compõe a autarquia, tem as competências bem definidas, mas funcionam em interdependência

Segundo Anilton Andrade, “se a moção de confiança for aceite, o grupo não terá nenhum problema em aceitar a decisão” da Assembleia Municipal de São Vicente, “mas se não for aceite, o presidente da câmara, Augusto Neves, deve assumir as suas responsabilidades políticas e pedir a sua demissão”.

O vereador da UCID defendeu que o presidente deve ter a noção clara de que ninguém quer a sua cadeira.  Pelo que, pediu ao autarca para “se libertar desse pesadelo, porque senão, ao invés de trabalhar e deixar os vereadores exerçam os poderes na câmara, ele vai ficar é de vigia sobre a dita cadeira”.

Para o vereador, o presidente “deveria ficar de vigia às ilegalidades dos actos administrativos” na Câmara Municipal de São Vicente

“Solicitamos a passagem dos dossiês municipais e até então nada, solicitamos os dossiês inerentes relativamente aos nossos pelouros e estamos à espera, solicitamos informações e encontros semanais com o presidente e tudo é ignorado”, afirmou Anilton Andrade, questionando se “quem não quer trabalhar são os vereadores ou o presidente”.

CD/DR

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos