Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

São Vicente: Técnicos formados pelo MACV vão poder concluir formação superior na Lusófona de Cabo Verde (c/áudio)

Mindelo,07 Set (Inforpress) – Os técnicos formados pela Escola Técnica de Formação em Saúde e Educação (MACV) poderão, a partir deste ano lectivo, ingressar na Universidade Lusófona de Cabo Verde para concluir a sua formação superior.

Este é o resultado de um protocolo assinado hoje no Mindelo entre o reitor da Universidade Lusófona de Cabo Verde, Carlos Alberto Delgado, e o MACV, representada por Edmilson Gomes.

De acordo com o documento, válido por um ano e renovável mediante interesse entre as partes, a referida universidade vai estabelecer as condições preferenciais aos formandos dos cursos profissionais do MACV para frequência para cursos de ensino superior e de pós-graduação.

Os estudantes, diz o mesmo protocolo, terão uma redução de propina na ordem dos 25 por cento (%).

Segundo o reitor da Universidade Lusófona de Cabo Verde, esta “é uma parceria que ninguém pode perder”, desde logo, explicou, porque a Escola Técnica de Formação em Saúde e Educação “já colocou mais de mil pessoas no mercado a quem a universidade vai dar oportunidade para concluírem uma formação superior”.

“Ainda neste ano lectivo vamos poder implementar este protocolo do ponto de vista prático porque antes de o assinar já tínhamos solicitações de estudantes do MACV”, prognosticou Carlos Alberto Delgado.

No entanto, conforme o responsável, “não vai ter algum facilitismo em matéria de qualidade porque a direcção está a apostar muito na qualidade académica, no rigor científico e na autoridade académica, que são três pilares importantes de qualquer universidade”.

Segundo a mesma fonte, este protocolo significa que a universidade está a alargar-se e com diversidade de ofertas formativas. Mas, explicou que “este ano, por opção, a ULCV não vai abrir o primeiro ano porque querem dar à universidade um safanão nos próximos tempos”.

“Vamos iniciar as aulas sem quaisquer constrangimentos no dia 04 de Outubro com colação de todos os professores porque temos de dar este sinal à sociedade de que estamos organizados e queremos dar o melhor para este País e para a ULCV”, afirmou Carlos Delgado  indicando que se vai reunir, na próxima semana, com os presidentes das câmaras municipais da ilha de Santiago, com governantes e com outros parceiros para assinar protocolos.

Igualmente, adiantou, pretende estabelecer acordos com parceiros nas ilhas do Sal e de São Nicolau.

Conforme Carlos Delgado, estão a aparecer alguns horizontes a nível internacional pelo que, nos próximos tempos vai estabelecer uma parceria com a Universidade Diop de Dacar, e estará em Timor Leste.

Vai desenvolver ainda parcerias com a Universidade de Macau, com a Guiné Equatorial e, em conjunto com a MACV, estará em São Tomé e Príncipe e na Guiné-Bissau, que já tem a Universidade Lusófona.

Por sua vez o representante da MACV, Edmilson Gomes, disse que as duas instituições tiveram “um casamento perfeito”, porque ambos têm objectivo de “formar e dar cada vez mais oportunidades aos jovens de alcançar a formação superior e futuramente estar em pé de igualdade com os outros técnicos a nível mundial”.

“O objectivo da escola não é formar por formar, mas, sim, formar com qualidade e dar continuidade à formação porque os jovens são sempre o centro das atenções” revelou, realçando que apesar da sede da escola estar em Portugal a sua matriz em África é alcançar a maioria dos países.

CD/HF

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos