Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

São Vicente: Sindicatos satisfeitos com “boa adesão” à manifestação (c/áudio)

Mindelo, 13 Jan (Inforpress) – Os sindicatos em São Vicente dizem-se “satisfeitos” com a “boa adesão” à manifestação, que mobilizou entre duas a três mil pessoas, no Mindelo, que enviaram a sua mensagem ao Governo, conforme o porta-voz Tomás Aquino.

“Foi uma boa adesão, estamos satisfeitos, foi uma boa participação de pessoas e que estiveram com entusiasmo”, sublinhou o sindicalista à imprensa, que perspectiva ter havido entre duas a três mil pessoas, que “mandaram a sua mensagem ao Governo”.

O Governo, segundo a mesma fonte, tem conhecimento das reivindicações, que os trabalhadores acabaram por reafirmar hoje e se espera que agora dê atenção às mesmas e converse com os sindicatos que estão “disponíveis” para sentar à mesa de negociação.

“O nosso objectivo é, de facto, contribuir e colaborar para que Cabo Verde desenvolva e que trabalhadores sintam-se realizados e satisfeitos as suas necessidades”, reiterou.

Tomás Aquino garantiu que vai haver “novas jornadas de luta”, embora ainda não tenham marcado nenhuma em concreto.

“Mas, os sindicatos são dinâmicos e estar sempre em luta e os problemas nunca terminam”, lançou, adiantando que tal vai acontecer caso o Governo não reaja.

Entretanto, conforme a mesma fonte, farão um balanço desta manifestação a nível nacional e depois para se decidir novos caminhos a seguir.

“Certo é que lutas vai haver sempre”, concretizou, deixando o desejo que as novas lutas não sejam da iniciativa de 12 sindicatos, mas sim, da União Nacional dos Trabalhadores Cabo-verdianos –Central Sindical (UNTC-CS).

A manifestação, no Mindelo, teve a participação, inclusive, do antigo presidente da UNTC-CS, Júlio Ascenção Silva, e de centena de outros trabalhadores que empunhavam cartazes apelando à “igualdade de oportunidade, emprego e justiça social”, “urgente reposição de compra”, “medo e pressão não, “mais direitos para segurados”, “salário digno” e várias outras reivindicações.

A moldura humana, que se engrossou ao longo percurso, partiu da Praça Dom Luís, de seguida Praça Estrela, Rua do Coco, Rua de Lisboa, Avenida Baltazar Lopes, Avenida 5 de Julho e por fim outra vez Rua de Lisboa, onde Tomás Aquino falou aos participantes.

LN/ZS

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos