São Vicente: Projecto “Simili” vence primeira edição do concurso “Empreender Azul”

Mindelo, 28 Nov (Inforpress) – O projecto “Simili” , de Débora Roberto e Helena Moscoso, criado em São Vicente, venceu hoje a primeira edição do concurso “Empreender Azul”, promovido pela Pró Empresa em parceria com a Direcção Nacional dos Recursos Marinhos.

O projecto consiste em recolher o lixo encontrado nos mares para fazer puzzles, souvenirs, óculos de sol e outros utensílios que podem ser vendidos para o mercado turístico.

Segundo uma das criadoras do “Simili” , Débora Roberto, o projecto surgiu da paixão que a dupla tem para o mar que lhes motivou a pensar o que poderiam fazer para diminuir o lixo que encontravam todas as vezes que iam ao mar.

“Tivemos essa ideia em fazer uma sensibilização das pessoas, chamá-las atenção para o acumulo de lixo que encontramos nas praias e transformar esse lixo em coisas de valor que podemos até utilizar”, explicou Débora Roberto que, junto com a colega e com designers e artesãos pretendem transformar vidros, plástico e restos de redes de pesca em objectos funcionais.

Por ter vencido o concurso “Empreender Azul” o projecto “Simili” vai ser financiado em 600 mil escudos pelo Programa de Assistência Técnica para a Promoção da Economia Azul (Promeb) e beneficiará ainda de um plano de negócios e será submetido à incubação durante seis meses.

O segundo lugar foi para o projecto ˈHidroenergyˈ, dos jovens Franklin Araújo e Osamise Monteiro, de São Vicente. O projecto conquistou o prémio de 400 mil escudos e consiste em separar o hidrogénio da água do mar para comercializar como fonte de energia. A ˈHidroenergyˈ terá um plano de negócios e vai à incubação durante seis meses.

O terceiro lugar foi conquistado pelo projecto ˈMarine Guest Houseˈ, de Eugénia Brito, da zona de Tarrafal de Monte Trigo, Santo Antão. Trata-se de um projecto que propõe a construção de um centro de animação turístico e náutico na praia de Tarrafal de Monte Trigo.

Também este projecto terá um financiamento de 250 mil escudos, beneficiará de um plano de negócios e será submetido à incubação durante seis meses.

Esses três vencedores fazem parte dos 15 projectos que foram para a final do concurso “Empreender Azul”, que teve cerca de 300 participantes a nível nacional.

Segundo o presidente da Pró-Empresa, Pedro Barros, todas as ideias que foram apresentadas vão merecer o apoio e assistência técnica para organizarem os seus dossiês, obter de financiamento e implementar os seus projectos.

Nos casos necessários, ajuntou, farão um programa de aceleração para ajudar os promotores implementar melhor os seus projectos que serão acompanhados necessário para que possam ter sucesso.

“Depois no futuro poderemos distinguir as melhores empresas e ideias no âmbito do Promeb,” projectou Pedro Barros.

O secretário de Estado-adjunto para a Economia Marítima, Paulo Veiga, mostrou-se satisfeito porque, segundo afirmou, a juventude está a “pensar e a sonhar novas formas” de utilizar o ambiente de uma forma que “dá qualidade de vida”.

O governante afirmou que projectos apresentados são “muito bons” e podem ser replicados no continente e no mundo inteiro.

“Há ideias que estamos a trazer de fora e há ideias originais que podem promover e internacionalizar”, adiantou Paulo Veiga, garantindo que o Ministério da Economia Marítima irá continuar a ser financiador de projectos da Promeb além de procurar mais parceiros para distinguir maior número de ideias nas próximas edições do concurso.

CD/CP

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos