São Vicente: Primeiro-ministro inaugura Centro de Diagnóstico e promete continuar investimento na saúde

Mindelo, 15 Fev (Inforpress) – O primeiro-ministro considerou hoje, no Mindelo, que o “forte investimento” do Governo na saúde é para continuar sendo objectivo final criar “melhores condições “visando a melhoria da prestação na saúde”.

Trata-se de um centro, localizado nas instalações da Delegacia de Saúde de São Vicente, que engloba uma sala de optometria, uma outra de ecografia e ainda o serviço de estomatologia e que se enquadra num investimento nacional, conforme Ulisses Correia e Silva, de cerca de um milhão de contos, financiamento do Governo com comparticipação do governo da Bélgica.

Para o chefe do Governo, trata-se também de um investimento virado para oferecer “melhores condições” de trabalho aos técnicos de saúde, “o que é importante para quem se dedica à saúde dos outros”, mas com “melhores meios, condições e equipamentos.

“Estarão muito mais motivados para fazerem um bom trabalho”, precisou a mesma fonte, pois o investimento resulta de uma “opção clara” de dotar todos os centros de saúde e hospitais do arquipélago de condições visando a melhoria da prestação da saúde.

“Representa também oferta de serviço de proximidade desobstruindo a pressão sobre o Hospital Baptista de Sousa e prestar serviços à população sobretudo as mais carenciadas que demandam os centros de saúde”, finalizou o chefe do Governo.

Ainda em São Vicente, Ulisses Correia e Silva procedeu à inauguração da sede da Zona Económica Especial Marítima em São Vicente (ZEEM-SV), “um dos mais importantes pilares” do crescimento da economia azul e do desenvolvimento económico do País.

Ulisses Correia e Silva reforçou que o projecto é de “longo alcance” sendo a escolha de São Vicente para sediar a ZEEM-SV é suportada pela tradição marítima da ilha e pelas infra-estruturas existentes.

O chefe do Governo aproveitou para anunciar que a adjudicação da obra do terminal de cruzeiros deve ocorrer no mês de Março.

A lei que institui a ZEEM-SV e estabelece o regime jurídico especial da sua organização, desenvolvimento e funcionamento foi aprovado em Julho de 2020 num projecto, espera o Governo, que terá impacto na economia nacional, criação de emprego, desenvolvimento industrial, aumento das exportações, crescimento do PIB, desenvolvimento de todo o sector privado nacional, diversificação do crescimento económico e a internacionalização da economia de Cabo Verde”.

AA/ZS

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos