São Vicente: Primeiro-ministro garante Parque Tecnológico pronto em Maio de 2021 (c/áudio)

Mindelo, 30 Nov (Inforpress) – O primeiro-ministro disse hoje que o empreiteiro perspectiva a entrega do Parque Tecnológico de São Vicente em Maio do próximo ano, destacando que se trata de uma “boa infra-estrutura para dinamizar a economia digital” em São Vicente.

Ulisses Correia e Silva, que falava durante a visita, na manhã de hoje, às obras do Parque Tecnológico do Mindelo, afirmou que “se não fosse a covid-19 e as condições de confinamento” já se estaria na fase de conclusão do projecto.

“É um bom empreendimento, uma boa infra-estrutura para dinamizar a economia digital em São Vicente. Vai ter Data Center, uma parte do Parque Tecnológico para receber incubadoras de empresas, formação e vai desempenhar um papel importante de um sector que em Cabo Verde temos um potencial grande”, considerou o primeiro-ministro, para quem este investimento vai apoiar “ jovens com talento e com vontade de fazer” e “grandemente a infra-estrutura digital”.

Questionado se há alguma mudança no orçamento da obra, Ulisses Correia e Silva disse acreditar que a obra “está dentro dos paramentos definidos” e que até à conclusão espera não haver “mais sobressaltos” para além dos provocados pela covid-19.

Conforme Ulisses Correia e Silva, o Data Center no Mindelo vai funcionar em harmonia com o da Cidade da Praia que já está em funcionamento.

Isto porque, explicou, há necessidade de back ups (sistema de armazenamento de dados) e para além de servir a economia cabo-verdiana dá uma perspectiva de exportação de serviços.

“Em termos de tempo, há sincronia possível, tendo em conta que o da Praia já funciona. Este aqui é para depois servir de complemento, de bac kup e outras valências, nomeadamente o parque empresarial”, concretizou o chefe do Governo.

Instado a falar sobre como é que estão a resolver a questão da segurança digital tendo em conta ao ataque sofrido pelo NOSI, o primeiro-ministro disse que o caso “está em investigação e que não pode adiantar mais pormenores”.

“Temos um sistema que garante segurança quando há interferências externas. Da forma como foi atingido o sistema, tem que se fazer a investigação, incluindo de natureza criminal, para saber quais são os contornos relacionados com essa intervenção”, afiançou.

Em Junho, o  ministro da Economia Marítima, Paulo Veiga, anunciara que o prazo para a conclusão do Data Center, no Mindelo, seria renegociado devido à paralisação com o estado de emergência e que deveria ser relegado para 2021.

A apresentação e consignação desta obra aconteceram a 06 de Fevereiro de 2019, presidida pelo primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva, que assegurara, na altura, que a infra-estrutura vai dota a ilha de “competências, capacidades e qualificações” para melhoria da economia.

Esta obra, segundo o chefe do executivo, está integrada dentro do “grande projecto” de parque tecnológico em Cabo Verde e que se enquadra dentro de uma “política maior” de desenvolvimento das tecnologias de comunicação e informação (TIC).

O Data Center do Mindelo insere-se no projecto de parque tecnológico de Cabo Verde, que representa um investimento de 35,9 milhões de euros, com cerca de 31 milhões financiados pelo Banco Africano de Desenvolvimento (BAD) e pretende cumprir o objectivo do Governo de transformar Cabo Verde numa “plataforma segura para o lançamento de negócios na África Ocidental e nos Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa (PALOP)”.

CD/AA

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos