São Vicente: Presidentes em conversa descontraída arrancam gargalhadas a estudantes e professores

 

Mindelo, 11 Abr (Inforpress) – Os presidentes de República de Portugal e de Cabo Verde provocaram na tarde de hoje, no Mindelo, uma sucessão de gargalhadas e ovações durante uma “conversa aberta” com estudantes e professores na Universidade de Cabo Verde.

Jorge Carlos Fonseca e seu homólogo de Portugal, Marcelo Rebelo de Sousa, contaram histórias do tempo em que foram colegas na Faculdade de Direito, mais tarde professores ali mesmo, políticos, e agora presidente de República.

Mas os dois chefes de Estado falaram da função presidencial, em Cabo Verde e em Portugal, considerando Jorge Carlos Fonseca que no sistema de governo existente nos dois países o Presidente da República “pode falar de tudo”, ter conversas, como a de hoje, só aparentemente sem importância.

Por seu lado, Marcelo Rebelo de Sousa, questionado como lida com a situação política actual do seu país, respondeu que o “Presidente da República tem de ser o garante da estabilidade” e considerando que o chefe de Estado “deve criar todas as condições para que o governo possa Governar”.

Questionado sobre a morosidade na concessão do título de residência em Portugal, o chefe de Estado português afirmou ser “preciso que se olhe de forma especial para o caso dos estudantes” cabo-verdianos em Portugal, acrescentando tratar-se de uma “situação que justifica aquilo que os dois governos querem”, mas no âmbito da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP).

“Tem sido feito um esforço (para reduzir a burocracia), mas é preciso fazer mais, vamos fazer mais”, afirmou Marcelo Rebelo de Sousa.

Dirigindo-se à plateia, maioritariamente de estudantes mas também de políticos e professores, Marcelo Rebelo de Sousa chamou a atenção dos estudantes para a importância do sistema educativo nas suas vidas e aconselhou: “não interessa decorar, interessa resolver o problema e resolver de forma equilibrada. Saber pensar, saber compreender e saber decidir. Saber localizar no tempo e no espaço. A constante nas vossas vidas vai ser a mudança. Estejam preparados para isso”.

A “conversa aberta” decorreu no Liceu Velho, antigo Gil Eanes, actualmente em obras de restauração com financiamento de Portugal e de Cabo Verde, tendo durado apenas 70 minutos em virtude de agenda apertada.

As duas delegações presidenciais saíram quase a correr para visitar duas unidades fabris do sector do têxtil pertencentes a portugueses, no Lazareto, partindo dali para o aeroporto, a caminho da Cidade da Praia.

AT/AA

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos