Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

São Vicente: Presidente do Sindprof acredita que novo estatuto dos professores trouxe “perdas” à classe

Mindelo, 06 Mai (Inforpress) – A presidente do Sindicato Democrático dos Professores (Sindprof), Lígia Herbert, considera que o novo estatuto dos professores trouxe “perdas”, daí a razão de estar neste momento em São Vicente para auscultar a classe e tomar decisões.

A visita, iniciada desde o último domingo à cidade do Mindelo, segundo a líder do Sindprof, avançou à Inforpress, insere-se num périplo que abrangerá todas as ilhas para recolha de subsídios relativamente ao “novo estatuto”, aprovado em 2015.

“Acreditamos que com este novo estatuto muitos dos direitos dos professores foram violados, então é preciso que se faça alguma coisa para que a classe não perca as regalias que tinha anteriormente”, explicou esta responsável, que menciona alguns “problemas” como o subsídio pela não redução da carga horária, agora sem tributação e professores sem formação pedagógica, que agora não têm progredido, mesmo depois de cinco anos exercendo.

Estas e outras questões, que, segundo a mesma fonte, o Sindprof estará a debater com a classe em São Vicente, através de encontros nas diversas escolas, mas também de uma reunião geral, marcada para esta terça-feira, na sede do sindicato no Mindelo.

“Apresentaremos os novos paradigmas do fazer sindical, mas também estamos aqui para ouvir e esclarecer sobre as leis, que muitas vezes os professores não têm conhecimento”, adiantou, referindo a situações encontradas nesta e noutras ilhas, de docentes com contratos precários, que, defendeu, precisam ser vistos pelo Ministério de Educação.

“Se estes professores fizeram o teste e tiveram notas positivas, não é justo que as suas expectativas fiquem goradas. São essencialmente jovens, que estão com um futuro incerto”, asseverou a mesma fonte, que adianta também estar a trabalhar com as câmaras municipais para a revisão da situação dos monitores de infância igualmente com “salários baixíssimos”.

A visita contempla ainda alguns encontros, por exemplo com universidades, para encetar parcerias quanto a formações dos profissionais e ainda procura de parcerias para a prestação de serviços de saúde para os associados.

Lígia Herbert estará em São Vicente até esta terça-feira, nesta ilha que disse estar o sindicado, criado em 2017, a crescer a “olho nu”, embora não consiga dizer por alto o número de filiados que já contam.

A próxima ilha a receber a visita da presidente do Sindprof vai ser Santo Antão, onde esta dirigente sindical estará até sexta-feira.

LN/CP

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos