São Vicente: Paulo Rocha assegura que ilha iniciou um “acelerado processo de transformação” 

Mindelo, 22 Jan (Inforpress) – O ministro da Administração Interna, Paulo Rocha, considerou hoje, no Mindelo, que a ilha de São Vicente iniciou, nos últimos quatro anos, um “acelerado processo de transformação” e terá novos projectos logo que passe a pandemia.

O governante, que presidia a sessão solene de comemoração do Dia do Município de São Vicente, considerou que com esse processo de transformação a ilha “abriu-se, desenvolveu-se e projectou-se como nunca”.

“Evidenciaram-se dinâmicas fortes nos pilares centrais de governação nacional, com investimentos estratégicos, dinamização cultural, desenvolvimento da economia, coesão social, infra-estruturação e uma ilha de referência no investimento privado”, sustentou a mesma fonte, destacando os “vários projectos estruturantes” para o desenvolvimento de São Vicente nas diferentes áreas.

“Não obstante todas as realizações, o Governo está ciente do potencial da ilha, e por isso continuamos firmes e empenhados a trabalhar para os objectivos e metas de crescimento económico, para o emprego, para o rendimento das famílias e consequente redução da pobreza e para a melhoria dos indicadores socio-económicos da ilha”, asseverou.

Paulo Rocha adiantou ainda que outros projectos serão retomados em São Vicente “tão logo a pandemia passe”.

O presidente da câmara municipal, Augusto Neves, também passou revista pelas obras feitas na ilha, assegurando que para se dar continuidade às acções de transformação “urge que os cidadãos percebam os caminhos da regionalização”.

“A regionalização é um elemento imprescindível para que os cabo-verdianos possam beneficiar de políticas e de serviços públicos de qualidade e com eficiência e celeridade, promotores de equidade e solidariedade num quadro de transparência e de responsabilidade democrática”, considerou Augusto Neves.

A cerimónia contou ainda com a intervenção da presidente da Assembleia Municipal de São Vicente, Dora Pires, para quem a pandemia tem tentado “afundar” à ilha, mas os municípes “precisam ser fortes para lutar”.

“Porque é preciso mais para esta ilha, a fim de vê-la para caminhar para o desenvolvimento sustentável e de afirmação, sonho que poderá ser realidade com o apoio e desenvolvimento de todos”, sublinhou Dora Pires, com a ideia de que todos os membros da assembleia municipal são “importantes” e chamados a participar com “sabedoria e decidir sempre o melhor para os munícipes e para o desenvolvimento da ilha”.

O evento, que assinalou os 559 anos do descobrimento da ilha, arrancou com um momento musical protagonizado pelos jovens Aline Frederico (voz) e Olavo Fonseca (guitarra) e foi assistido por diversas personalidades, tanto políticas, religiosas e de defesa nacional.

LN/HF

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos