São Vicente: MpD usou maioria absoluta e aprovou sozinho Orçamento municipal para 2018

 

Mindelo, 04 Out (Inforpress) – O orçamento da câmara de São Vicente para 2018 dividiu hoje os três partidos com assento na Assembleia Municipal, mas o MpD, que suporta a edilidade, lá conseguiu aprová-lo com a maioria absoluta que detém no órgão deliberativo.

O PAICV afirmou que o instrumento de gestão representa o retrocesso, com “aumento de despesas correntes”, enquanto a UCID afirmou que “nunca poderia dizer sim” a tal orçamento.

Mas o MpD, que sempre se manteve confiante por conta dos 11 dos 21 deputados que compõem a Assembleia Municipal, aprovou-o sem nenhuma dificuldade.

Quem votou claramente contra foi o PAICV, tendo-se a UCID abstido.

O MpD teceu os maiores elogios ao documento, classificando-o de “realista, exequível e estrategicamente bem desenhado”, de modo a “manter os ganhos e performances já conseguidos nas mais diversas áreas”, segundo palavras de Flávio Lima, do grupo político do partido no poder.

Trata-se de um “orçamento alinhado com as ambições da população de São Vicente”, acrescentou.

Para Patrícia Gomes, líder da bancada da UCID, tudo não passa de “mais do mesmo”, tendo ela e seus pares votado abstenção.

“Queremos são projectos” para fazer avançar o município, acrescentou.

O orçamento para 2018 importa em 960 milhões de escudos, menos nove milhões relativamente ao de 2016, segundo o PAICV, mas o MpD contraria tal posição e afirma aquele partido anda a baralhar os números.

AT

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos