Ministro pede “passos concretizáveis” e cooperação mútua para desenvolvimento do turismo em São Vicente

Mindelo, 24 Mar (Inforpress) – O ministro do Turismo e Transportes, Carlos Santos, acredita que todas as instituições ligadas ao turismo devem dar “passos concretizáveis” e promover a cooperação mútua para desenvolver o sector na ilha de São Vicente.

O governante fez esse apelo hoje, no Mindelo, ao presidir à mesa redonda “Desenvolvimento do turismo em São Vicente”, organizada na sequência do fórum “Pensar São Vicente 2035”, realizado pela autarquia em Janeiro último.

Carlos Santos acredita que as medidas tomadas neste encontro restrito devem, a partir de agora, ter em conta a planificação de uma ilha pequena, que “requer uma atenção cuidada” num momento em que se está “a transitar, do que se conhece São Vicente como uma cidade muito virada para o seu porto, para uma cidade turística”.

Importa olhar, segundo a mesma fonte, para este “desafio”, que o sector público, o sector privado e o terceiro sector podem “abraçar e ter uma postura coerente”, para a ilha e cidade se transformar numa “orquestra” e “com as peças a trabalharem em conjunto”.

Com essa intenção, o governante pediu a realização de mais encontros do tipo, e quiçá, criar uma comissão para olhar para o desenvolvimento de São Vicente nos próximos tempos.

“Mas, mais do que isso é nós darmos passos curtos, passos concretizáveis para que as coisas aconteçam na ilha de São Vicente”, assinalou, referindo, por outro lado, ao conjunto de empreendimentos turísticos em construção no Mindelo, e que mostram que o sector privado nacional está a fazer a sua parte.

Agora, segundo o governante, cabe aos poderes locais e central concertar e criar as condições, “olhando para a ilha no seu conjunto”.

Na mesa redonda estiveram representadas instituições como a Câmara de Comércio do Barlavento, Cabo Verde TradeInvest, Instituto do Turismo, Fundo do Turismo, Zona económica Especial Marítima de São Vicente e outras, que, di-lo Carlos Santos, têm poder de desempenhar algum papel nesse desenvolvimento, que poderá ser replicado em outras ilhas.

No final do encontro deverá ser redigido uma “Carta do Mindelo” com as recomendações para o futuro do turismo em São Vicente.

LN/CP

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos