São Vicente: Líder juvenil pede ponto focal para servir de ligação entre o Governo e os jovens

Mindelo, 15 Abr (Inforpress) – O presidente da Federação Cabo-verdiana da Juventude, Helmer Fortes, pediu hoje, no Mindelo, a criação de ponto focal do Governo nos diferentes municípios para que os jovens saibam das “reais oportunidades” disponíveis dentro da “política transversal” do executivo.

Este líder juvenil, que falava no início da tarde de hoje à Inforpress e à RCV, fez este apelo na sequência do encontro, à porta fechada, das associações juvenis de São Vicente com o Secretário de Estado Adjunto do Ministro de Estado, com quem disse ter partilhado algumas preocupações, entre estas a de necessidade de um ponto focal do Governo para a juventude nos municípios.

“Estamos a ouvir repetidamente que a política para a juventude é transversal, mas como é que um jovem de Fajã pode saber qual a política dos negócios estrangeiros ou a política da cultura voltada para a juventude”, questionou Helmer Fortes, para quem este elo, que poderá ser instalado na câmara municipal ou noutra instituição, deverá “filtrar todas estas políticas transversais e fazer saber as oportunidades que realmente têm para os jovens”.

“Enquanto não tivermos isso, a juventude ficará perdida, porque não temos um centro de informação”, afiançou, adiantando ser esta a principal preocupação da federação e das associações.

Por outro lado, o líder associativo congratula-se com a distinção de Mindelo como a primeira Capital Nacional da Juventude para o ano de 2019, embora ainda não tenha informações de que irá desenvolver-se, ainda mais estando, ajuntou, já com uma “perda” de três meses, com o ano já no mês de Abril.

Entretanto, segundo a mesma fonte, há um desafio lançado pelo secretário de Estado Adjunto do ministro do Estado, Carlos Monteiro, de se criar uma comissão para gerir as actividades e materializar este projecto, que São Vicente servirá de “cobaia”.

Aliás, Carlos Monteiro, por seu lado, garantiu ser “fundamental” o contributo das associações e líderes juvenis, para concretização do programa, que não pode ser somente do Governo e da câmara.

“Este tem que ter uma forte componente e contributo da sociedade civil, que neste encontro deram ‘inputs’ muito importantes”, assegurou este governante, que enumera como uma das principais o reforço de capacitação das associações juvenis, cujo número, no caso de São Vicente, tem vindo a decrescer.

Questionado sobre as vantagens que Mindelo pode tirar com esta distinção, o governante explicou que estas não podem ser vistas apenas para a cidade que acolhe a iniciativa, mas a nível dos jovens de Cabo Verde, incluindo a diáspora.

“Vai partir daqui com um cunho muito sanvicentino, porque estamos a falar de uma ilha com uma forte componente cultural e criativa, e a partir daí os jovens de São Vicente vão lançar as bases do que vai ser daqui para a frente desta iniciativa de capital da juventude”, advogou, referindo as áreas beneficiadas, entre as quais cultura, voluntariado, reforço do associativismo, empreendedorismo e outros, que percorrem os programas do governo, das autarquias, mas também de subsídios da sociedade civil.

Quanto à selecção de novas cidades para acolher as próximas capitais da juventude, será decidido, segundo a mesma fonte, através de um concurso, em que o vencedor poderá ser conhecido num evento de comemoração do Dia Mundial da Juventude, assinalado a 12 de Agosto.

O encontro entre o secretário de Estado e as associações juvenis de São Vicente enquadra-se nas actividades da Semana da Juventude da Câmara, realizada por ocasião das comemorações dos 140 anos da cidade do Mindelo, assinalado no último domingo, 14.

LN/CP

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos