São Vicente: Jovem cabo-verdiano nascido na Holanda tenciona levar aquaparque a todas as ilhas

 

Mindelo, 30 Mai (Inforpresss) – O  jovem Addy Almeida, 32 anos, filho de emigrantes cabo-verdianos, nascido na Holanda, aposta na criação de aquaparques em Cabo Verde, o primeiro dos quais é inaugurado, em São Vicente, quinta-feira, 01 de Junho.

Trata-se de um equipamento constituído por  piscinas, escorregas, trampolim e colchões insufláveis, em fase de montagem na praia da Laginha, o qual deve começar a receber, a 01 de Junho, crianças e adultos.

O aquaparque deve permanecer em São Vicente até o próximo mês de Agosto, seguindo-se para Santiago e posteriormente para o Sal, segundo explicou, hoje, à Inforpress, o  jovem empresário.

Addy Almeida explicou que a ideia surgiu da vontade que tinha de implementar um negócio em Cabo Verde e investir na terra dos pais, contribuindo, assim, para o desenvolvimento do arquipélago.

Inicialmente pensou em apostar no sector imobiliário, precisou,  com a construção e aluguer de apartamentos, mas depois reparou que esses investimentos estavam “um tanto ou quanto saturados” no país.

Recebeu, então, afirmou, “influência” de um amigo que o incentivou a apostar num aquaparque.

Addy Almeida viajou para a Grécia, onde o amigo já tinha um empreendimento do género, observou que era um área que se “encaixava perfeitamente” nas características de Cabo Verde, onde existem  várias praias e poucas opções de divertimento, ajuntou.

Foi assim que, há oito meses, segundo conta,  começou a pesquisar sobre o assunto, viajou para a Alemanha e China à procura dos materiais adequados e elaborou um projecto que  submeteu a Agência Marítima e Portuária (AMP) para  aprovação e que, agora, está a tornar-se realidade.

Addy Almeida  explicou que a ideia é inaugurar o aquaparque no dia 01 de Junho, para presentear as crianças da ilha de São Vicente com essa opção de divertimento, mas dado às condições de vento “pouco favoráveis” à montagem dos equipamentos, admite o adiamento para os dias seguintes.

O empresário que, inicialmente, tinha pensado em cobrar 550 escudos por 30 minutos de divertimento no parque, agora equaciona baixar o preço para 300 escudos e montar metade do equipamento na Laginha para crianças maiores de 12 anos,  e a outra metade, na praia do Cais de  Alfândega, junto ao Pont d’Aga, para meninos dos cinco aos 12 anos, por questões de segurança.

“No Pont d’Aga, como a praia é mais calma e menos movimentada, os pais podem acompanhar as crianças mais pequenas e divertirem-se num ambiente mais tranquilo”,  explicou o empresário, que pretende deixar o parque da Laginha para  diversão dos adolescentes.

“Depois da inauguração vamos ficar em São Vicente até  o próximo mês de Agosto depois seguiremos para a ilha de Santiago e Sal”, explicou o empresário, que avançou ainda que depois escolherá uma ilha para fixar o aquaparque e adquirir um novo que colocará em circulação pelas demais ilhas.

Para garantir a segurança dos utilizadores do aquaparque, a AMP irá disponibilizar uma área circundada com bóias e assinalada para as pessoas circularem.

A cada pessoa que adquirir um bilhete  será entregue ainda um colete salva-vidas para garantir a segurança dentro da água, numa área que contará ainda com cinco nadadores-salvadores em cada uma das praias para auxiliar em qualquer eventualidade.

No dia da inauguração haverá ainda jogos e competições para os participantes, como provas de natação e caças ao tesouro com prémios monetário e outros em materiais como equipamentos de mergulho e surf.

EC/AA

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
[wd_asp elements='search' ratio='100%' id=2]
    • Categorias

  • Galeria de Fotos