São Vicente: Fórum Educação propõe reflexão sobre a profissão do professor e desafios

Mindelo, 16 Jan (Inforpress) – Professores da ilha de São Vicente de todos os níveis de ensino encontram-se reunidos hoje e quarta-feira, 17, no Mindelo, no Fórum Educação, que propõe reflectir sobre a profissão do professor, desafios e a saúde dos docentes.

Na abertura da 2ª edição do fórum, a delegada do Ministério da Educação reconheceu que a questão da saúde mental no professor é uma realidade, que “há que ter em conta”, pois sem saúde e um bom ambiente de trabalho o professor não consegue trabalhar.

“O que desejamos é criar todas as condições para que o professor se sinta valorizado e tenha ânimo e incentivo para trabalhar”, acrescentou Maria Helena Andrade, para quem, “de uma maneira geral”, a saúde mental dos professores em São Vicente “está bem”, embora, ajuntou, possa haver situações que não sejam do conhecimento dos seus serviços.

“Temos um ou dois casos de pessoas com algum tipo de problema nesta área, mas nada alarmante, mas é algo que não podemos deixar de lado, temos que prevenir para não remediar”, sintetizou a responsável.

Maria Helena Andrade lembrou que os professores, hoje, enfrentam “vários desafios” e que o que se quer, com o fórum, é munir a classe de boas práticas e algumas sugestões para “melhorar sempre” o seu profissionalismo, perante os desafios com que se depara no dia-a-dia.

A psicóloga Denise Lima, que apresentou o tema “Psicologia positiva aplicada à vida e ao trabalho dos professores, considerou este tem “tudo a ver” com os professores, por se tratar de uma “profissão desgastante”, que exige um “enorme sentido de propósito”, que é um dos componentes da psicologia positiva.

Aliás, precisou a mesma fonte, focar tanto no adoecimento não é o melhor caminho, pois há que agir na prevenção para não deixar que chegue a doença.

“O objectivo é prevenção para desenvolver nas pessoas saudáveis outras capacidades que as vão permitir enfrentar essas dificuldades na sua profissão”, ajuntou a psicóloga, que considerou que situações de stress, ansiedade e depressão são mais frequentes nos professores porque se trata de uma “profissão do cuidar” e, como outras, referiu, estão “mais propensas” para sofrer dessas situações, pelo que é feita uma intervenção específica para as ultrapassar.

O fórum de dois dias, que para além da comunidade docente, é aberto aos pais e encarregados de educação, terá ainda em debate o tema “Cooperação mútua para a cultura da paz e êxito no ambiente de trabalho”.

AA/ZS

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos