Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

São Vicente: Duzentas crianças inscritas na Escolinha de Verão de Ponta d’Pom

Mindelo, 31 Jul (Inforpress) – A Escolinha de Verão da Associação Ponta d’Pom, no Mindelo, tem duzentas crianças inscritas para participar em diversas actividades até 30 de Agosto e que pretende oferecer um “entretenimento de qualidade” a crianças menos favorecidas.

Até agora, segundo o vice-presidente da área social e ambiental da associação, Valter Lopes, só 160 crianças frequentam as aulas iniciadas nesta segunda-feira, mas pretendem atingir os 200 inscritos nos próximos dias.

Assim, duas centenas de participantes para esta escolinha, que já vai na quarta edição e que tem por objectivo, conforme a mesma fonte, oferecer outras ocupações nas férias, que não seja só vídeo-jogos, computadores e telemóveis.

“Pretendemos dar um tipo de entretenimento nestes tempos livres com maior qualidade”, lançou o responsável, adiantando actividades como teatro, dança. Capoeira, música, visitas a instituições, passeio em iates e ainda aulas de inglês, “jogos dinâmicos” e outros mais para crianças dos cinco aos 13 anos.

Uma iniciativa que tem conseguido colocar de pé contando somente, ajuntou, com a “boa vontade” dos voluntários de Ponta d’Pom e também com a parceria mantida há cinco anos com a associação portuguesa Gastagus, que todos os anos envia cinco voluntários para ajudar.

“Porque, financiamento não temos de lado nenhum, pedimos apoios em vários lugares mas ainda não tivemos qualquer resposta”, reforçou Valter Lopes, que diz que mesmo sem apoios fazem “esforço” para o levar adiante, já que as crianças e os pais ficam sempre à espera e perguntando para quando.

Até, porque, o projecto abrange quase todas as zonas de São Vicente e famílias com menos disponibilidade económica, cujos filhos somente pagam uma inscrição de 400 escudos e mesmo os que não conseguem dar este montante são recebidos na mesma.

O vice-presidente da Ponta d’Pom apontou o exemplo deste ano em que das 200 crianças inscritas, somente 50 por cento já pagou os 400 escudos, que se destinam à confeccção de uma t-shirt para os identificar.

“Colocamos os nossos próprios recursos, já que preocupámos com este lado social, porque as crianças nas férias e sem ocupação estão sujeitas a vários perigos, mas enquanto estiverem connosco estão bem”, garantiu, acrescentando contarem com o apoio de 15 monitores voluntários e ainda precisarem de mais, para dar resposta a tanta criança, até 30 de Agosto.

LN/ZS

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos