São Vicente: Deputados do PAICV dizem que ilha “foi mais uma vez esquecida” na proposta de Orçamento do Estado

 

Mindelo, 09 Nov (Inforpress) – Os deputados do Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV, oposição) eleitos pelo círculo eleitoral de São Vicente consideraram hoje que a ilha “foi mais uma vez esquecida” na proposta de Orçamento do Estado para 2018.

O porta-voz, João do Carmo Brito, em conferência de imprensa, no Mindelo, revelou-se “seriamente preocupado” por não haver na proposta de Orçamento do Estado para 2018 “nenhum investimento de fundo” para a ilha no próximo ano.

“São Vicente encontra-se muito aquém daquilo que o primeiro-ministro prometeu aquando das campanhas”, lançou o deputado, que lembrou que o Governo vai no próximo mês aprovar o terceiro de cinco orçamentos para esta legislatura.

Ou seja, ajuntou, “ tudo o que foi prometido para São Vicente, ao fim da aprovação do 3º orçamento, não terá nenhuma resposta” e os sanvicentinos, precisou, saberão avaliar a posição deste Governo e de Ulisses Correia em que “confiaram o seu voto”.

Das visitas efectuadas ao círculo eleitoral, com ênfase no sector marítimo, os deputados revelaram-se “preocupados” ainda com a regulamentação do código MLS, da Organização Marítima Internacional (IMO, na sigla em inglês), que pode “perigar 1300 marítimos cabo-verdianos” no exterior.

“Podemos regredir aos finais dos anos 90, em que Cabo Verde entrou para a lista negra da IMO”, alertou João do Carmo Brito, que apelou ao Governo para dar “uma atenção especial” a esta matéria para o país não “correr o risco” de regressar à lista negra da IMO.
Outra questão que considerou de “séria” relaciona-se com o relatório da auditoria da União Europeia com relação ao sector das pescas, concretamente a exportação do pescado.

É que, segundo o parlamentar, há uma recomendação da última auditoria de efectivação de um laboratório aqui em São Vicente e até agora, pelos contactos que os deputados disseram ter feito, o Governo “nada fez de concreto” para o funcionamento desse laboratório.

“Quando se fizer a próxima auditoria, caso esta recomendação não estiver resolvida, teremos problemas sérios na exportação do pescado, que é um sectores que movimenta a economia marítima em Cabo Verde, mais concretamente em São Vicente”, concretizou o deputado.

A visita dos deputados teve ainda uma componente económica/empresarial e aqui João do Carmo Brito considerou que, daquilo que disse ter ouvido dos responsáveis da Câmara de Comércio do Barlavento, as principais recomendações e solicitações deste agremiação empresarial nos últimos tempos “não foram assimiladas mais uma vez” no proposta de Orçamento do Estado.

“Isto preocupa os deputados do PAICV porque são questões ligadas a pedidos fiscais e redução de burocracia do Estado para facilitar a dinâmica económica e os empresários”, concluiu o deputado.

AA/JMV

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos