São Vicente: Deputado do MpD garante que “nenhum centro de saúde da ilha será encerrado” até 2020

 

Mindelo, 07 Abr (Inforpress) – O deputado do Movimento para a Democracia (MpD, no poder), João Gomes, garantiu hoje estar na posse de “informações concretas” de que, até 2020, “nenhum centro de saúde de São Vicente será encerrado”.

O parlamentar, eleito nas listas do MpD pelo círculo eleitoral de São Vicente, acompanhado pela colega Celeste Fonseca, visitou na manhã de hoje o Centro de Saúde da Ribeira de Craquinha, muito em voga ultimamente na sequência de recomendações de um estudo internacional que aponta para o seu encerramento.

“Temos um estudo preliminar que faz a caracterização da situação actual e conclui que os centros de saúde da ilha não estão equipados para dar respostas às primeiras necessidades da população”, lançou o deputado, sustentando que, nesta base, o documento faz recomendações, nomeadamente a reorganização dos centros, para garantir “melhor qualidade” de prestação de serviços na saúde primária.

“A decisão de criar ou de encerrar um centro de saúde é política e o político para decidir precisa de elementos, estudos e dados técnicos que hão de permitir tomar a sua decisão”, acrescentou João Gomes, reafirmando que, “neste caso concreto”, a informação de que dispõe é a de que “não há nenhuma decisão política” de encerrar centros de saúde em São Vicente.

Ademais, o deputado, que esteve acompanhado na visita pelo delegado de Saúde de São Vicente, Elísio Silva, referiu-se ainda a informações que alegadamente lhe terão sido passadas pela médica responsável do Centro de Saúde de Ribeira de Craquinha segundo as quais o ministro da Saúde “não concordou com a recomendação de encerrar o referido centro.

“O ministro não está em Cabo Verde e não consegui chegar à fala com ele, mas estou em condições de garantir que até 2020 não será encerrado nenhum centro de saúde em São Vicente”, concluiu João Gomes.

No início desta semana, o delegado de Saúde, em conferência de imprensa garantiu, igualmente, que o centro de Ribeira de Craquinha não será encerrado.

Entre as 20 iniciativas que o estudo apresentado a 22 de Março propõe como recomendações para a “reorganização estratégica da oferta de cuidados de saúde e as infra-estruturas”, destaca-se a desactivação dos centros de saúde de Fonte Inês e Ribeira de Craquinha e a transferência das actividades do Centro de Saúde Reprodutiva da Bela Vista (CSRBV) para sede da Delegacia de Saúde.

O estudo propõe ainda, entre outras, a transferência da actividade do Centro de Saúde de Fonte Inês para a congénere de Chã de Alecrim, a construção de raiz do Centro de Saúde do Monte Sossego, a transferência do Centro de Terapia Ocupacional da Ribeira de Vinha para o espaço da ex-PMI-PF, na Bela Vista, e a construção de um laboratório regional do Barlavento, em São Vicente.

AA/CP

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos