Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

São Vicente: Comissão de Recenseamento Eleitoral inscreve mais de 2.400 novos eleitores

Mindelo, 19 Ago (Inforpress) – O responsável pela Comissão de Recenseamento Eleitoral em São Vicente, Humberto Mota, afirmou hoje à Inforpress, que conseguiu registar 2.446 eleitores em São Vicente desde que reiniciaram o processo, no mês de Maio à esta parte.

Segundo Humberto Mota a perspectiva é chegar aos três mil eleitores até às zero horas desta quinta-feira, 20, dia em que se encerra o processo de recenseamento em todo o país.

“Reiniciamos no mês de Maio e estamos com 2.446 novos eleitores mas no total, após as eleições de 2016, temos 3.179. Isso quer dizer que temos tido um excelente número depois da reabertura. Mesmo com essa conjuntura que estamos a viver neste momento temos um número bastante considerável”, afirmou Humberto Mota.

Questionado sobre os constrangimentos que tiveram no processo de recenseamento eleitoral a mesma fonte disse que “desde 2011 este é melhor o período eleitoral em termos de resultados”.

Isto, acrescentou, graças aos “partidos políticos que têm estado no terreno a fazer uma forte mobilização” e “com o engajamento da Comissão do Recenseamento Eleitoral (CRE) de São Vicente”.

Apesar disso, com o processo prestes a fechar, a Inforpress constatou uma aglomeração de pessoas junto à sede da CRE, em Monte Sossego, para se recensearem.

Uma atitude desaconselhável nesta época de pandemia, mas corriqueira em anos eleitorais, segundo Humberto Mota.

“Esta aglomeração já é histórica. Sempre digo que o recenseamento anda a reboque das eleições. Normalmente, nos anos eleitorais temos muitos recenseados”, disse.

O responsável garante que, todos os anos, a CRE tem feito campanhas de sensibilização junto dos liceus e das universidades mas, conforme a mesma fonte, tem sido difícil convencer os jovens.

“Os partidos é que fazem os jovens procurarem a CRE. Em 2017, que não foi ano eleitoral, tivemos 127 inscritos, em 2018 conseguimos apenas 97, apesar do serviço estar permanentemente aqui a trabalhar. Isto num horizonte de cerca de 1400 jovens que completam 18 anos todos os anos na ilha de São Vicente”, constatou Humberto Mota.

Segundo o responsável da CRE em São Vicente se todos os dias 10 jovens se deslocassem à CRE conseguiriam ter todos os potenciais eleitores inscritos sem necessidade de filas à porta da instituição.

CD/HF

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos