São Vicente: Cinco empresas fazem visita técnica ao local da construção do terminal de cruzeiros (c/áudio)

Mindelo, 19 Nov (Inforpress) – Cinco empresas seleccionadas para 2ª fase do concurso de execução das obras do terminal de cruzeiros, em São Vicente, fizeram hoje uma visita técnica ao local das obras para recolher informações e preparar as propostas técnicas e financeiras.

Em declarações à imprensa, o presidente do Conselho de Administração da Infraestruturas de Cabo Verde, entidade responsável pela construção do Terminal de Cruzeiros, afirmou que a visita efectuada foi o cumprir de uma formalidade do concurso.

Segundo Carlos Correia e Silva, os dois financiadores do projecto e as empresas tinham agendado uma visita técnica que não aconteceu devido à obstrução das viagens provocadas pela pandemia da covid-19, por isso decidiram realizar uma visita técnica com transmissão online.

“Temos cinco empresas a participar e mais de 15 pessoas a seguir a visita. Com recurso às Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC) temos conseguido dar informações do local para poderem preparar as propostas técnicas, conhecendo as condições de como é que vão montar os estaleiros e como é que fazem o acesso aos equipamentos”, afirmou Carlos Correia e Silva.

A segunda fase do concurso para a construção do terminal de cruzeiros de São Vicente, que consiste na entrega das propostas técnicas e financeiras, acontece até final de Novembro.

Em Dezembro, far-se-á a análise das propostas e a selecção do empreiteiro para a execução da obra, adiantou Carlos Correia Silva.

O prazo do arranque das obras está acordado para Janeiro de 2021 e a execução tem um prazo de 22 meses.

O projecto do Terminal de Cruzeiros do Mindelo, estimado em cerca de 25 milhões de euros, é co-financiado pelo Fundo ORIO, do governo holandês, e pelo Fundo OPEP para o Desenvolvimento Internacional.

O terminal de cruzeiros projectado para o Porto Grande de São Vicente terá cais de cruzeiro de cerca de 400 metros de comprimento, com dois berços de atracação, sendo um de 11 metros e o outro de 9,5 metros de profundidade.

Será servido por uma gare marítima para passageiros de cerca de 900 metros quadrados, uma vila turística junto à marginal, que vai ter lojas, free-shop, restaurantes, bares, pequenos museus e souvenir, e parque de estacionamento com 6.150 metros quadrados para táxis e autocarros.

A Enapor estimara para 2020 um crescimento de 14 por cento (%) no número de escalas de navios de cruzeiro, contudo devido ao fecho, em Março, motivado pela covid-19, aponta-se para uma “redução significativa” de escalas.

O relatório e contas da Enapor referente a 2019, disponível no sítio da empresa na Internet (www.enapor.cv), revela que o negócio de cruzeiros em Cabo Verde “consolidou-se em 2019”, ao registar 147 escalas nos portos do arquipélago e 49.860 passageiros, neste particular um aumento de 14,5 por cento (%) em relação a 2018.

O Porto Grande contribuiu com 52% da quota de mercado, para um total de 55 navios, enquanto o Porto da Praia recebeu 31 navios, o que representa 31% da quota de mercado.

A actividade de cruzeiros, actualmente, a nível mundial, encontra-se praticamente suspensa, com a frota mundial na sua maioria parada e a aguardar a melhoria da situação epidemiológica.

CD/DR

Inforpress/Fim

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos