São Vicente: Cidadão homenageia esposa vítima de acidente de trabalho e pede medidas para evitar outras situações 

Mindelo, 29 Abr (Inforpress) – O marido da funcionária da Câmara Municipal de São Vicente, que faleceu em 2021 vítima de acidente de trabalho, homenageou hoje a falecida esposa e pediu mais medidas das autoridades para que a situação não se repita.  

Emiliano Tavares disse à imprensa que a homenagem surgiu de uma ideia do filho de ambos, de 14 anos, após terem visto nas notícias que o 28 de Abril, assinalado esta quinta-feira, é Dia Mundial da Segurança e Saúde no Trabalho em memória às vítimas de acidentes e doenças relacionadas ao trabalho. 

Os dois hoje decidiram colocar flores e fotos de Cátia Silva, nas imediações da rotunda de Fonte Meio, no Mindelo, local onde esta caiu a 27 de Janeiro de 2021 da carroceria de um camião da câmara municipal ligado aos Espaços Verdes. 

“A ideia dessa criança mexeu muito comigo e hoje estamos aqui prestando esta homenagem que se enquadra no Dia das Vítimas de Acidente de Trabalho e também no Dia das Mães, que se celebra este domingo”, sublinhou a mesma fonte, adiantando que o tributo é para assinalar “tudo que significou como mãe e como mulher”. 

Por outro lado, ajuntou, a iniciativa é uma forma de impedir que a situação caia no esquecimento, uma vez que “as responsabilidades devem ser assacadas e justiça deve ser feita”. 

O marido de Cátia disse que “todos os bois devem ser chamados pelos seus nomes”, sendo que a responsabilidade da ocorrência é dos responsáveis do parque auto da Câmara Municipal de São Vicente que “sabiam que o carro não tinha condições para transportar pessoas”. 

“O carro estava sem inspecção, sem seguro e por várias vezes a Polícia de Trânsito até já colocou os trabalhadores no chão”, asseverou Emiliano Tavares, para quem “não é aceitável essa ilegalidade” que permanece apesar de já ter batido em várias portas. 

“Não vou aceitar, enquanto continuar a ver os camiões da câmara municipal a fazer este tipo de transporte vou continuar essa luta, até quando não vir ninguém nas carrocerias ou até quando tomarem medidas e consertarem os carros”, afiançou, adiantando que a ideia é impedir que outra família passe pelo sofrimento que a sua está passando. 

Emiliano Tavares acredita que a edilidade “precisa ter uma postura como deve ser”, bem como o próprio presidente, Augusto Neves, que foi uma das pessoas que “mais o decepcionou” em todo este processo “derivado de todas as promessas que fez e que nunca cumpriu”. 

“Toda esta humilhação e desprezo que ele tem com a nossa família é que me faz lutar também para que a justiça seja feita”, concretizou. 

A homenagem contou com a presença de três representantes de movimentos sociais de São Vicente, que disseram ter ido em solidariedade à família e para que as autoridades actuem para fazer a justiça que “não foi feita preventivamente”. 

LN/HF

Inforpress/Fim 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos