São Vicente: Chefe do Estado-Maior das FA exorta recrutas a cultivar “honra e espírito de sacrifício”

Mindelo, 08 Jan (Inforpress) – O Chefe do Estado-Maior das Forças Armadas exortou hoje os 134 recrutas da 3ª incorporação militar de 2020 a cultivar a honra, o espírito do corpo de sacrifício e a capacidade de superação.

Anildo Morais falava durante a cerimónia de ratificação do juramento à bandeira no Centro de Instrução Militar do Morro Branco, em São Vicente.

Para o Major-General, neste “delicado momento que o País e o mundo vivem serão todos chamados às mais diversas missões”, pelo que exortou os recrutas a “cultivar os valores humanos e universais, como a disciplina, espírito de equipa, solidariedade, compreensão e a tolerância”.

Por isso, sentenciou, “o esforço para ultrapassar a situação que se vive tem que ser comum a todos”.

Igualmente, Anildo Morais enalteceu o corpo de instrutores que, segundo ele, se “dedicou a fundo na instrução dos agora soldados” e que “soube se adaptar de modo a manter a qualidade da instrução, mesmo perante todas as condicionantes derivadas da pandemia da covid-19”.

Além disso, destacou a direcção do Centro de Instrução Militar que conseguiu “realizar com sucesso” três incorporações seguidas em plena situação de pandemia.

Essas três incorporações, segundo Anildo Morais, obrigou a “alterações substanciais na logística, na metodologia, nos meios de instrução e no tempo disponível para ministrar os conhecimentos, tendo demonstrado enorme capacidade de adaptação e resiliência”.

Segundo o director do Centro de Instrução Militar do Morro Branco, Rui Fortes, a 3ª incorporação, composta por 134 recrutas, teve a duração de seis semanas, distribuídas em duas fases, com duas semanas na Preparação Militar Geral e quatro semanas na fase de Especialidades.

Na fase de Preparação Militar Geral foram ministrados os módulos de ordem unida, informação e contra informação, saúde, higiene e primeiros socorros, transmissões, técnica individual de combate, técnica e táctica de infantaria, educação moral e cívica, armamento e tiro, topografia e educação física militar.

Na segunda fase, foram ministrados os cursos de Polícia Militar e Marinheiros que ainda decorrem.

Além das instruções, os soldados receberam palestras sobre prevenção e uso de substâncias psicoactivas, combate contra violência baseada no género, prevenção das infecções sexualmente transmissíveis, mudança do estilo de vida devido à pandemia da covid-19 e historial sobre as Forças Armadas de Cabo Verde.

CD/JMV

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos